Loulé adere ao Pacto para Conciliação da Vida Profissional, Pessoal e Familiar

A autarquia louletana é a 14ª no país a aderir a este pacto.

A Câmara Municipal de Loulé aderiu ao Pacto para a Conciliação integrado no «Programa 3 em Linha – Programa para a Conciliação da Vida Profissional, Pessoal e Familiar» do Governo. A adoção de medidas promotoras da conciliação da vida profissional, pessoal e familiar é o mote deste projeto-piloto, um compromisso assumido por 52 entidades públicas e privadas, sendo a Câmara Municipal de Loulé uma das 14 autarquias participantes.

A cerimónia de assinatura do Pacto para a Conciliação teve lugar esta quarta-feira, 6 de fevereiro, no Pavilhão do Conhecimento em Lisboa, e contou com a presença da Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, e da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro. A representar a Câmara Municipal de Loulé neste momento esteve a vereadora com o pelouro dos Recursos Humanos, Marilyn Zacarias, que procedeu à assinatura do memorando de compromisso.

«O Pacto para a Conciliação tem como principais objetivos promover um maior equilíbrio entre a vida profissional, pessoal e familiar, como condição para uma efetiva igualdade entre homens e mulheres, de bem-estar, de produtividade e de sustentabilidade demográfica e para uma cidadania plena, que permita a realização de escolhas livres em todas as esferas da vida, ou seja, assumindo uma mudança cultural e organizacional no sentido do reconhecimento da conciliação da vida profissional, pessoal e familiar como critério de gestão das organizações», explica em comunicado de imprensa a autarquia louletana.

Em suma, a Câmara Municipal de Loulé assume o Pacto para a Conciliação como «imperativo da gestão autárquica, esperando que as boas práticas implementadas/a implementar possam ser replicadas em outras organizações existentes por todo o concelho de Loulé».

Como realçou Marilyn Zacarias, «a ideia é que as iniciativas levadas a cabo pela Autarquia neste âmbito junto dos seus trabalhadores se estendam a outras entidades, sejam elas públicas ou privadas». «Este é mais um passo dado pela Câmara Municipal em prol de um concelho que prima por uma melhor conciliação da vida profissional, pessoal e familiar, fatores que acreditamos serem decisivos para o bem-estar dos nossos concidadãos», concluiu a vereadora louletana.

Categorias
Sociedade


Relacionado com: