Frusoal lança duas marcas focadas na internacionalização da laranja algarvia

Gomo e Biogomo são os nomes que a empresa escolheu para levar a laranja do algarve ao consumidor estrangeiro.

A Frusoal, organização de produtores líder na produção de citrinos em Portugal, lançou hoje em Berlim as suas marcas próprias para os Citrinos do Algarve. A Gomo é a marca destinada aos citrinos de categoria superior Premium, enquanto a Biogomo irá comercializar laranjas produzidas em modo biológico.

Com o foco na internacionalização, as duas insígnias foram apresentadas no primeiro dia da Fruit Logistica, a maior feira mundial de frutas e legumes que está a decorrer até sexta-feira na capital alemã, e que atrai 78 mil visitantes de 130 países. O lançamento contou com a presença do Ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos.

Este branding foi desenvolvido pela TerraProjectos, consultora especializada no sector agroalimentar. Gomo e Biogomo remetem para a doçura e sabor intensos dos citrinos algarvios. E são multilingues. Sabor, gomo a gomo (português), Flavour, in every piece (inglês) e Saveur, quartier à quartier (francês) é a declaração destas insígnias nos diversos mercados onde vão estar presentes.

«O lançamento destas marcas comerciais permite não só gerar valor acrescentado para os nossos produtos e associados, como também cria maior notoriedade para a produção nacional, que assim ganha diferenciação e maior capacidade de negociação tanto no mercado português como nas geografias de exportação», explica também Pedro Madeira.

O projeto de internacionalização da Frusoal é cofinanciado pelo Programa Operacional CRESC Algarve 2020, com um montante de investimento elegível global superior a 259 mil euros, dos quais 45% (um valor a rondar os 116 mil euros) são provenientes do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

A Frusoal iniciou a sua atividade em 1990 e conta com perto de uma centena de produtores associados. Atualmente, perto de 25% das vendas da empresa já são feitas no estrangeiro. «Espanha, França, Alemanha, Reino Unido, Suíça e Polónia são os mercados prioritários» da organização, que está também «a desbravar novas geografias como Noruega e Suécia».

O lançamento das duas marcas tem como objetivo «reforçar as exportações da Frusoal e valorizar o sabor dos Citrinos do Algarve, nomeadamente as laranjas de calibres superiores, assim como as de produção biológica – incluindo aquelas com classificação IGP – Indicação Geográfica Protegida», explica a empresa de citrinos.

Conhecidos pela sua casca fina e intensamente colorida e brilhante, mas sobretudo pelo elevado teor em sumo de sabor muito doce, estes citrinos são produzidos em mais de uma dezena de concelhos da região algarvia – pelas características dos seus solos e, sobretudo pelo seu microclima, o Algarve produz citrinos de alta qualidade, com mais e melhor sabor.

«Estamos presentes em mercados próximos do Centro da Europa, o que, dada a sua proximidade, nos permite trabalhar com frutas mais maduras e, por isso, com mais sabor», destaca Pedro Madeira, sócio-gerente da Frusoal. Se é pelo sabor que a Frusoal tem conquistado mercado, a empresa sentia que ainda não havia uma marca distintiva que identificasse os gomos mais doces dos citrinos algarvios, tanto no mercado doméstico como além-fronteiras.

A aposta nos citrinos biológicos, cuja área de produção está a ser alargada, é também uma das prioridades da Frusoal para ir ao encontro das tendências de consumo. Atualmente, esta associação de produtores tem em marcha um plano de internacionalização para reforçar o peso das suas vendas no exterior. «Esperamos em 2020 alcançar um volume de negócios de 25 milhões de euros. O reforço da presença nos mercados, com produtos de qualidade superior e valor acrescentado, é crucial para atingir esse objetivo» refere o responsável.

Categorias
Regional


Relacionado com: