Quinta dos Vales aposta na casta Syrah

Um novo branco e um novo tinto estiveram em destaque no evento Porta Aberta que desde 2009 apresenta à comunidade as últimas criações vinícolas da propriedade no concelho de Lagoa.
Marta Rosa, enóloga residente da Quinta dos Vales.

«Um dos destaques é o Grace Verdelho branco 2018 que, apesar de não ser novidade, resultou num vinho excelente», sublinhou ao «barlavento» Michael Stock, 29 anos, um dos responsáveis por esta propriedade vitivinícola de 44 hectares, em Estômbar, concelho de Lagoa, no domingo, 7 de abril. «Estagiou durante quatro meses em barrica de carvalho húngaro. É um vinho muito fresco, frutado e com um final agradável. O curto estágio em barrica, e a escolha propositada da utilização de carvalho húngaro em vez de francês, não marcou o vinho em demasia, estando a tosta tão bem integrada que quase que não se nota.», acrescentou Marta Rosa, enóloga residente da Quinta dos Vales, durante o evento Porta Aberta que desde 2009 dá a provar ao público, entusiastas e entendidos, aquilo que de melhor está a produzir.

Nos tintos, a novidade é o Grace Vineyard 2013. «É um vinho que teve um estágio de 12 meses em barricas novas e usadas de carvalho francês e que, apesar de só ter 13 por cento de volume alcoólico, apresenta uma grande complexidade, com muita fruta, muita especiaria e um final agradável e suave.», descreveu a enóloga.

Michael Stock avançou ainda que o Syrah promete dar que falar, apesar de, até agora, nada ter sido dado à prova. «Vamos ter monocastas tinto, rosé e branco. O curioso é que a partir de uma casta tinta pode-se criar tanto um tinto, como um rosé, ou mesmo um branco. Vamos ser capazes de mostrar a diversidade que existe, usando a mesma uva, mas transformando-a de várias formas diferentes», avançou.

Assim, ainda durante 2019, a adega irá mostrar o novíssimo Dialog Syrah Blanc de Noir 2018 e o Primeira Selecção Syrah Rosé 2018, que não passarão despercebidos.

A chuva que se fez sentir ao longo de todo o dia acabou por prejudicar um pouco a afluência de público, embora a organização tenha ficado satisfeita e estimado que tenham passado mais de 1500 pessoas pela propriedade. «Quem gosta deste conceito e quem quer conhecer as nossas novidades, acaba por vir», considerou a enóloga Marta Rosa. Ainda segundo a mesma, durante a manhã «o público foi maioritariamente estrangeiro, mas à tarde o português fez-se notar».

Vindima de 2018 foi de «excelente qualidade»

Marta Rosa, enóloga residente da Quinta dos Vales, contou ao «barlavento» que a vindima de 2018, «ao nível de qualidade foi excelente e muito superior à de 2017. Os vinhos brancos e rosés vão estar muito brevemente disponíveis para prova. A vindima dos tintos foi muito extensa. terminando a 10 de outubro e resultou em vinhos com muita cor e muita estrutura».

Esta é uma altura, explicou Marta Rosa, em que já se prepara a nova vindima. «Começámos a esvaziar os depósitos e a preparar a adega, mas o mais importante é focarmo-nos na vinha. Ela já está a abrolhar e os tratamentos fitossanitários já começaram. Em junho é feita a monda de cachos nas castas tintas com mais vigor. O objetivo é reduzir o número de cachos por vara, de forma a concentrar mais a uva».

Segundo a enóloga, este é um dos motivos que faz com que a marca se destaque das concorrentes. «Enquanto outras adegas querem quantidade, nós prezamos pela qualidade logo na vinha e, na adega, não prescindimos da mesa de escolha, sendo todos os cachos selecionados à mão. Nós respeitamos a uva e tentamos tirar o maior proveito daquilo que ela nos pode dar. Uma escolha rigorosa e uva de qualidade são fundamentais para uma enologia com baixa adição de produtos enológicos». Apesar de ainda ser cedo para prever a vindima de 2019, «a chuva de agora é ouro para a vinha, porque ela está a começar o novo ciclo vegetativo e é a altura em que precisa de mais água». Além disso, «se tudo correr como em 2018, a qualidade só poderá ser excelente», concluiu.

Michael Stock, 29 anos, um dos responsáveis pela Quinta dos Vales, propriedade vitivinícola de 44 hectares, em Estômbar, concelho de Lagoa.

«Torne-se um Vitivinicultor» estreou com sucesso

Lançado em 2018, o novo projeto que dá diferentes oportunidades aos aspirantes vitivinicultores de poderem criar o seu próprio vinho personalizado, estreou com sucesso. Segundo Michael Stock, no ano de lançamento aderiram dois amantes de vinho, «que continuarão connosco em 2019». Peter Wein, alemão e gestor hospitalar na Alemanha, foi o primeiro cliente. «Tem três parcelas de vinha com castas brancas e já produziu os primeiros três vinhos», referiu o responsável. Já a segunda cliente, suíça de naturalidade, «arrendou uma parcela e este ano decidiu comprar duas. Está 100 por cento envolvida na produção do vinho e durante a vindima junta-se aos trabalhos e à equipa às 6 da manhã», acrescentou.

Questionado quanto à concorrência, Michael Stock é claro. «Há algumas empresas no mundo que fazem este tipo de projetos, contudo não são tão abrangentes como nós. O nosso cliente trata de tudo à distância. Nós enviamos vídeos, e-mails e explicações, para que possam estar presentes em todos os momentos da criação do seu vinho». Recentemente a Quinta dos Vales avançou também com a expansão do alojamento na parte norte da propriedade, que poderá impulsionar ainda mais este projeto. O plano previa a construção de 12 apartamentos de tipologia T1 e 20 de tipologia T0, com área comum de lazer, piscina, bar e restauração. Apesar de o início das obras estar a demorar mais que o previsto, Michael Stock, afirmou ao «barlavento» que os trabalhos deverão estar concluídos até ao final deste ano.

Categorias
Destaque


Relacionado com: