SEP acusa ARS do Algarve de obrigar enfermeiros a pagar danos nas viaturas de serviço

Nuno Manjua, coordenador regional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

Duas enfermeiras das Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) de Portimão e Faro foram notificadas para pagamento de danos em viaturas de serviço da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, segundo denunciou hoje a Direção Regional de Faro do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

«Em carta assinada pelo presidente da ARS (Paulo Morgado), é exigido o pagamento no prazo de dez dias úteis, sob pena de avançar para procedimento disciplinar, reservando-se ainda ao direito de na falta de pagamento voluntário, proceder ao desconto da importância em dívida no seu vencimento mensal», denuncia o SEP.

«Esta atitude por parte da ARS gerou uma onda de indignação e protesto. De imediato vários enfermeiros e outros profissionais se solidarizaram subscrevendo cartas de recusa de condução. Até ao momento as UCC de Faro, Portimão, Lagoa e Silves remeteram a missiva e é esperado que os profissionais de outras UCC sigam o exemplo. Não faz parte das funções dos enfermeiros a condução de viaturas, mas ainda assim ao longo dos anos, quer por falta de viaturas, quer por falta de motoristas, os enfermeiros têm assegurado visitas domiciliárias e outras atividades na comunidade a pé; conduzindo viaturas de serviço (muitas vezes sem condições de segurança, higiene e conforto) e até as suas próprias, pagando do seu bolso», lê-se na nota do SEP.

«Apesar das dificuldades enfrentadas diariamente, apesar de serem devidas horas de trabalho e de serem insuficientes para dar resposta a inúmeras solicitações, o esforço sobre humano que têm vindo a desenvolver para assegurar o máximo possível os cuidados à população, é agora compensado com uma atitude inaceitável por parte da ARS que está a merecer a total rejeição por parte dos profissionais».

No dia 20 de março, o SEP esteve reunido com o presidente da ARS, «onde reiterou a necessidade urgente de reforço de meios humanos e viaturas para a região do Algarve. Tendo sido reconhecido pela própria ARS o esforço dos profissionais para a prossecução da missão da instituição, é absolutamente incompreensível que venham exigir o pagamento de danos que resultam de acidentes, que só não acontece a quem não conduz. O SEP responsabiliza a ARS Algarve por todos os cuidados/atividades à comunidade que sejam desmarcados ou que não tenham qualquer resposta e exige que seja revogada a decisão de pagamento de danos em viaturas por parte dos profissionais e ainda que, de uma vez por todas sejam concretizadas soluções urgentes para os problemas da Saúde no Algarve», conclui a nota da Direção Regional de Faro do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

Contactada pelo «barlavento», a ARS do Algarve garante que «está a rever a situação para encontrar uma solução internamente, através do diálogo e do esclarecimento, com os profissionais envolvidos e as estruturas sindicais».

Categorias
Saúde


Relacionado com: