HPA alertou população estrangeira para cancro de pele

O rastreio do Euromalanoma 2017 revelou resultados preocupantes para a população estrangeira, segundo o médico dermatologista André Laureano, responsável por este evento, realizado no passado dia 17 de maio, no Hospital de Alvor. Com efeito, do total de pessoas rastreadas, mais de 20 por cento apresentaram cancros de pele, dos quais mais de metade eram melanomas, referiu o clínico. «Esta percentagem é preocupante, sobretudo para a população estrangeira residente, uma vez que dos cancros que detetámos, 80 por cento pertencem a este grupo», adiantou este especialista do grupo HPA Saúde. «Estas pessoas devem ter uma vigilância regular, pois possuem caraterísticas de maior risco, tais como pele clara, cabelo loiro, sardas e olhos azuis e, também porque usufruem de mais horas de sol».

Como o melanoma pode ter uma sobrevida muito baixa em estádios avançados, o diagnóstico precoce realizado com tecnologia diferenciada, constitui a arma mais potente no seu combate.

Neste momento, o Hospital de Alvor dispõe de Dermatoscopia Digital Computorizada, uma das mais avançadas técnicas não-invasivas de diagnóstico do cancro cutâneo. Esta técnica permite o mapeamento de lesões pigmentadas («sinais») e o seu registo através de uma câmara de vídeo ligada a um sistema informático. O armazenamento das imagens torna possível a sua comparação ao longo do tempo favorecendo, por um lado, o diagnóstico precoce de cancro cutâneo (sobretudo, o melanoma maligno), por outro, diminuindo a necessidade de procedimentos cirúrgicos desnecessários em lesões benignas. André Laureano é um dos especialistas portugueses mais diferenciados na área do cancro cutâneo. Além de Mestre em Dermatoscopia e Dermato-Oncologia Preventiva, é assistente científico da unidade de Cancro da Universidade de Graz (Áustria), um centro mundial de excelência.

Categorias
Saúde


Relacionado com: