II Jornadas da Diabetes do Grupo HPA Saúde marcadas para 18 de junho

As II Jornadas da Diabetes do Grupo HPA Saúde terão lugar no próximo sábado, dia 18 de junho na sala de conferências do Hospital Particular de Gambelas, em Faro. Tal como o ano passado, esta reunião científica terá uma abordagem multidisciplinar, pois esta doença sendo multissistémica, assim o exige do ponto de vista da prevenção e da intervenção. Do exercício à alimentação, da terapêutica oral à medicina hiperbárica, serão nove os especialistas oradores que se reunirão para esta formação.

Segundo o Relatório Anual do Observatório Nacional da Diabetes, no ano de 2015, a prevalência da Diabetes em Portugal com idades compreendidas entre 20 e 79 anos foi de 13,1 por cento, o que corresponde a um número superior a 1 milhão de pessoas. Verifica-se ainda um importante incremento na prevalência da Diabetes com a idade, sendo que um quarto das pessoas entre os 60 e 79 anos tem Diabetes.

A estes números já de si assustadores, teremos ainda de ter em conta que a Hiperglicemia Intermédia (alteração da glicose em jejum e/ou tolerância diminuída à glicose) acrescenta a este grupo de risco 2,1 milhões de indivíduos na faixa etária dos 20 aos 79 anos.

Saude_diabetes_2A fisiopatologia da Diabetes é complexa e envolve vários fatores, apresentando os doentes graus variáveis de resistência periférica à insulina e de deficiência de produção relativa de insulina. Coexistem pois fatores genéticos e ambientais que vão resultar na hiperglicemia, que pode ela própria danificar a célula beta pancreática e exacerbar a resistência à insulina.

A Diabetes é uma doença crónica, sem cura conhecida à luz do conhecimento atual, e que evolui, principalmente numa fase inicial, de um modo silencioso. Esta vai resultar num nível persistentemente elevado da glicose na corrente sanguínea, mesmo na ausência de sintomas, resultado em lesão dos vários tecidos do organismo. Como tal, principalmente nos países desenvolvidos, a Diabetes é a principal causa de cegueira, insuficiência renal e amputação dos membros inferiores, além de representar um fator de risco major para a Doença Coronária e para a Doença Cerebrovascular.

No entanto, é possível manter qualidade de vida, se o indivíduo respeitar o tratamento e controlar os níveis de glicémia adequados à sua idade, tipo de vida ou atividade. O melhor modo de efetuar este controlo é realizar diariamente e várias vezes ao dia, os testes de glicémia capilar (picada no dedo para medir o «açúcar» no sangue), nomeadamente antes e depois das refeições. Tendo em conta que é muito frequente a associação entre a Diabetes, a hipertensão arterial e o colesterol elevado, é imprescindível que estes também sejam regularmente controlados, pois por si só agravam as suas complicações.

Independentemente do tipo de Diabetes 1 ou 2, o tratamento é sempre multidimensional, e incluiu a terapêutica (insulinas e antidiabéticos orais), a alimentação e o exercício, devendo por isso ser acompanhado por uma equipa multiprofissional, onde se incluem médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas e podólogos. Respeitando esta necessidade o HPA disponibiliza uma consulta de intervenção multidisciplinar, onde após um rigoroso processo de avaliação do indivíduo se estabelecem estratégias personalizadas para o seu tratamento e seguimento.

Por todas as razões apresentadas, nunca é demais Conversarmos Sobre…Diabetes. Para consultar o programa e realizar a inscrição, aceda ao site do Hospital Particular do Algarve.

|Opinião Grupo HPA

Categorias
Saúde


Relacionado com: