Vilamoura já tem gestão do tráfego inteligente

O «barlavento» entrevistou Miguel Rodrigues, diretor de Sistemas de Controlo Inteligente de Tráfego da Siemens Portugal, a propósito do novo sistema de gestão de tráfego implementado em Vilamoura. O Algarve dá mais um passo para s tornar numa smart region até 2020.

A Siemens em colaboração com a Inframoura – Empresa de Infraestruturas de Vilamoura, está a melhorar a mobilidade daquela zona através de um novo sistema que permite ganhos de tempo no tráfego, maior monitorização remota e mais segurança rodoviária.

O projeto «Gestão e Informação de Tráfego» tem como principal objetivo «descongestionar as principais vias de trânsito de acesso ao centro de Vilamoura, reduzir emissões de CO2 e ruído e a encurtar tempo de resolução de avarias e de alteração de planos de sinais», explicou Miguel Rodrigues, o diretor de Sistemas de Controlo Inteligente de Tráfego da Siemens Portugal ao «barlavento».

«O sistema de gestão de tráfego é uma plataforma que recolhe dados de tráfego em tempo real e em função do comportamento deste, apresenta informação aos condutores para apoiar a seleção do melhor modo de transporte (seguir em transporte individual, estacionar e usar uma bicicleta, etc.), permitindo também atuar sobre os semáforos para influenciar a evolução dos fluxos e dessa forma permitir uma atuação estratégica da cidade sobre o tráfego», explica.

A deteção «baseia-se num emissor que combina tecnologia de radar e eletromagnetismo para detetar a presença de veículos. Comunica por wireless com o controlador remoto e permite reduzir ao mínimo o tempo de sinal verde atribuído a uma via, quando nela não se encontra qualquer veículo». A Siemens estima que é possível alcançar reduções de 70 a 80 por cento no tempo necessário para alterar planos de sinais, face a equipamentos convencionais.

O sistema, já a funcionar em Vilamoura, «demorou cerca de um ano a desenvolver e está em produção há dois, e está utilização desde junho de 2016», refere. Faz parte do «Sitraffic smartGuard», o maior interface de controlo de tráfego do mundo, alojado na cloud da Siemens. Tem ligados a si 7500 semáforos, 100 parques de estacionamento, 12 mil detetores e sensores de tráfego e 167 cidades».

Em Vilamoura, permitiu, logo no arranque, «duplicar o débito de tráfego por interseção e ajustar as temporizações mais adequadas ao período do ano e hora do dia».

Para já está concluída a primeira de três fases que contemplam «a renovação da sinalização, a recolha de informação de tráfego (incluindo tempo de viagem para pontos estratégicos de Vilamoura) e apresentação de informação aos condutores e público em geral», adianta Miguel Rodrigues.

«Controlador da Siemens é dotado das mais recentes características de segurança e capacidade de gestão remota»

«Além de comunicar em tempo real os dados de contagem, o sistema permite, por exemplo, saber que fora dos picos do verão passou-se de 12 para 27 veículos por ciclo ou seja, tempo de verde a verde – portanto, aumentou o débito da via em 540 veículos por hora. Permite detetar e identificar avarias à distância, sem necessidade de deslocação ao local. E algumas das avarias podem ser resolvidas também à distância, quando residem no software. Outras, ainda que careçam de intervenção de um técnico, são debeladas de forma mais eficiente pois o técnico faz-se acompanhar dos meios adequados à avaria específica, com base na informação que pode consultar diretamente do sistema», explica.

O controlador permite ainda «adaptar automaticamente o tempo de verde em função do tráfego detetado na via». «A gestão é integralmente remota e permite acima de tudo otimizar o tempo disponível para cada via. A semaforização é, como costumamos dizer, um “negócio” de tempo e o segredo está na correta distribuição deste tempo pelas vias conflituantes. O dinamismo na gestão destes algoritmos permite otimizar o desempenho em termos de regulação de tráfego. Além destas vantagens, combinadas com a deteção de avarias, incorpora ainda alguns aspetos de segurança importantes, tais como a total redundância de processamento, permitindo a atualização de configurações ou até mesmo a substituição de módulos sem interrupção do funcionamento», conclui.

Fátima Catarina, presidente da Inframoura, refere que está «muito satisfeita por ter selecionado a Siemens como parceiro tecnológico para este projeto» e confia «que as soluções instaladas vão ajudar a melhorar a fluidez do trânsito em Vilamoura, reduzir a poluição e aumentar a segurança».

O futuro deverá ser a aposta na mobilidade elétrica

«A Siemens propõe a adoção de bicicletas PEDELEC (eletricamente assistidas) e a utilização de autocarros elétricos no serviço urbano, num plano de eletrificação de algum transporte público em Vilamoura». No entanto, ainda «não está definido nenhum calendário, sendo que os desenvolvimentos recentes na estratégia para a região poderão viabilizar a concretização de qualquer destas medidas».

 

 

Categorias
Regional


Relacionado com: