União de Freguesias de Moncarapacho e Fuzeta alerta para o mato na berma da EN125

A União de Freguesias de Moncarapacho e Fuzeta considera que a segurança rodoviária na EN125 está posta em causa devido à «inoperância» da Infraestruturas de Portugal.

Em nota enviada à imprensa, hoje, 16 de fevereiro, a autarquia do concelho de Olhão diz «vem reclamando há cerca de um ano junto da Infraestruturas de Portugal, para que proceda à limpeza das bermas da Estrada Nacional 125, entre os limites da freguesia, devido ao crescimento de plantas e arvoredo que estão a invadir as bermas e em alguns locais a própria faixa de rodagem, colocando em causa a normal circulação rodoviária, especialmente entre a Alfandanga e a Murteira».

Após «insistentes pedidos de limpeza, nada foi efetuado, com a Infraestruturas de Portugal a limitar-se a enviar Inquéritos de Satisfação(!) e a responder que o assunto está «encerrado» ao efetuar o seu reencaminhamento para a Rotas Algarve Litoral, que, contatada pela União de Freguesias, refere não ter conhecimento do mesmo», acusa ainda a autarquia.

Assim, e sem competências na matéria para poder atuar, a União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta, «que apenas pode reclamar e alertar, sente-se refém da sensibilidade e vontade das referidas instituições que têm a cargo a manutenção das estradas nacionais e que, neste caso, a sua atuação tem sido nula, pelo que deste modo é nosso dever e obrigação alertar publicamente esta inoperância da Infraestruturas de Portugal que coloca em causa a segurança rodoviária entre os limites geográficos da nossa freguesia, acrescendo o facto de existir a obrigatoriedade de limpeza dos terrenos até dia 15 de março para prevenir riscos de incêndios, situação que pode ser afetada se as bermas das estradas não estiveram limpas», conclui a nota.

Categorias
Regional


Relacionado com: