TASA contrata jovens artesãs e lança workshops para o Verão

Cláudia Guerreiro e Vanessa Flórido são as duas mais recentes contratações do Projecto TASA – Técnicas Ancestrais Soluções Atuais. Pela primeira vez esta iniciativa, que tem por missão afirmar as artes tradicionais como uma profissão com futuro, integra na sua equipa interna profissionais com função de artesão. Até ao momento, o Projecto TASA colabora com a rede de 47 artesãos do Algarve, que exercem a sua atividade de forma independente.

A formação e contratação destas jovens artesãs fez-se no âmbito do Programa «Artesãos do Século XXI» que decorreu de Fevereiro a Maio deste ano e envolveu seis aprendizes. Esta iniciativa promovida pela Proactivetur – turismo responsável – no âmbito da gestão do Projecto TASA, visou responder de forma direta à necessidade de transmitir conhecimentos nas artes dos entrelaçados a uma nova geração de artesãos. Surge numa altura crítica em que as artes tradicionais do Algarve estão na contagem decrescente para a extinção e em que o mercado desperta para a produção artesanal de alto valor cultural, diferenciadora e inserida numa lógica de sustentabilidade do ponto de vista social, cultural e económico.

As artesãs estão já a colaborar no desenvolvimento de protótipos que irão introduzir mais-valias para a inovação nos entrelaçados tradicionais, como é o caso da cestaria em cana e da empreita, e também no alinhamento destas artes com os valores da sustentabilidade. Este trabalho irá ser apresentado ao público no final de Julho.

Outra novidade é lançamento de um programa de workshops a acontecer semanalmente nas suas lojas em Loulé e Vilamoura. Conduzidos pelas duas artesãs, estas experiências criativas desafiam o participante a criar o seu próprio objeto para levar e recordar. A cana, palma e outras plantas nativas do Algarve estão na origem de técnicas ancestrais como a «empreita» e de objetos especiais que são parte importante do rico património cultural da região.

Categorias
Regional


Relacionado com: