TAP ofereceu batismo de voo a crianças do Refúgio Aboim Ascensão

Ver nascer o sol a 18 mil pés de altitude, de Faro para Lisboa, foi uma experiência inesquecível para um grupo de 11 crianças do Refúgio Aboim Ascensão, no dia 1 de junho, que viajou a convite da TAP.

Passavam poucos minutos das 6 horas quando o trem de aterragem do Airbus A319 da TAP largou a pista 28 do Aeroporto de Faro e o nariz se inclinou com suavidade para o céu. Para um grupo de crianças, entre os 6 e os 10 anos de idade, institucionalizadas no Refúgio Aboim Ascensão, foram momentos de magia.

«Olha, casinhas tão pequenas. Parece um mundo de brincar!». A frase foi espontânea, assertiva e dita com a inocência que só as asas da infância permitem alcançar, ainda mal o sol raiava no horizonte. Não demorou muito até ao voo TP 1900 aterrar em Lisboa, onde começou a aventura.

Paula Coelho, técnica de relações públicas e veterana na TAP, esperava os mini passageiros de braços abertos. Seguiu-se um pequeno almoço reforçado na sala de refeições reservada aos administradores e altos quadros, na sede da empresa. Os mimos e carinhos foram mais que muitos: bolo de chocolate acabado de fazer. Mochilas recheadas de prendas. Cozinha disponível para pedidos especiais.

O grupo algarvio esteve nas nuvens, pelo menos, até meio da manhã, altura em que se juntou a outros oriundos de escolas, institutos de solidariedade social e unidades hospitalares do Funchal, Ponta Delgada e Porto, com o objetivo de passarem um dia divertido na Kidzania.

Já na famosa cidade das crianças, Fernando Pinto, presidente executivo/ CEO da TAP explicou ao «barlavento» que esta é uma iniciativa de responsabilidade social «para ter continuidade». Começou com a campanha Abraçar Portugal, que ofereceu voos a todos os bebés nascidos a 7 de maio passado, nos distritos que vão dar nome aos novos aviões da frota TAP Express. «Vamos ter várias outras etapas que serão surpresa», a anunciar ao longo do ano.

«Procuramos que os nossos trabalhadores, os nossos passageiros e os nossos clientes em geral estejam envolvidos. A iniciativa do Dia da Mãe realmente marcou. Foi extremamente importante para nós. E agora, eu diria que não poderíamos marcar o Dia da Criança de uma forma melhor, convidando a voar pela primeira vez», 40 meninos e meninas que, de outra forma, talvez não tivessem oportunidade de o fazer tão cedo. Fernando Pinto escolheu também esta data para inaugurar uma nova parceria com a Kidzania.

A área de receção passa agora a ser um aeroporto, no qual os visitantes farão o check-in para entrar. Mas mais importante é que o avião (parte da fuzelagem de um DC-9 importada dos Estados Unidos da América), tem agora as cores da companhia de bandeira portuguesa.

«A Kidzania é um enorme projeto que deu certo. É uma ideia para as crianças aprenderem brincado, de forma divertida, e conhecerem as profissões. Já tinha vindo aqui com os meus sobrinhos e não me agradava ver este avião branco. Isso é algo que não é bem visto na aviação. Um avião branco, em princípio não tem dono, não está designado, ou está buscando alguém para o voar. Muitas vezes acabam a carreira no deserto assim», explicou.

Por outro lado, o CEO da TAP reconhece que os mais pequenos são um público-alvo importante. «As crianças são hoje grandes decisores e motivadores de viagens, porque os pais querem levá-las para outras experiências», disse.

A Kidzania dá-lhes «uma inspiração para o futuro» ao mostrar como é ser piloto, hospedeira ou comissário de bordo.

Já de regresso ao Algarve, e apesar da ligeira turbulência durante o voo, as crianças tiveram direito a mais mimos: visitas ao cockpit e doces. Um facto, deve ficar registado. O «barlavento» atesta que as crianças do Refúgio Aboim Ascensão se portaram muitíssimo bem durante toda a viagem. Portanto, outras empresas nacionais ou regionais que queiram seguir a iniciativa da TAP e oferecer-lhes um dia igualmente inesquecível, podem esperar, nada menos que, um comportamento exemplar. E momentos de magia com a inocência que só as asas da infância permitem alcançar.

Algarve é mercado estratégico para a Kidzania

«A região tem um peso significativo, sobretudo no segmento das escolas de ensino básico e de pré-escolar. «A taxa de conversão que conseguimos de visitas de estudo é bastante elevada comparativamente a outras zonas do país. Houve um trabalho no sentido de promover o conceito junto dos professores, ao longo dos últimos oito anos, que tem dado frutos. Além disso, este número é complementado por visitas de famílias da região do Algarve, em períodos de férias escolares», disse ao «barlavento» Sérgio Correia, governador da Kidzania.

Categorias
Regional


Relacionado com: