Sardinha assada, pão e uma festa que celebra 23 anos em Portimão

O aroma da sardinha assada volta a invadir a zona ribeirinha de Portimão, na 23.ª edição do Festival da Sardinha.

Portimão está em festa e celebra, mais uma vez, o seu principal ícone gastronómico. Por toda a cidade, o clima será de festa e aliado, como manda a tradição, ao aroma da tradicional sardinhada que promete abrir o apetite de todos os visitantes.

Um dos mais emblemáticos festivais gastronómicos do país, cuja primeira edição remonta a 1985, volta a ter lugar na zona ribeirinha da cidade, com cinco noites de festa onde será possível degustar a afamada Sardinha assada como manda a tradição, em pão caseiro ou no prato acompanhada com a batata e a salada à Algarvia.
A animação também será uma constante na zona ribeirinha, entre o museu de Portimão e a zona entre pontes, com artesanato, doçaria, animação de rua e sonoridades várias, que vão do folclore à música tradicional portuguesa, passando ainda pelo teatro.

Sardinha assada no prato e no pão
O evento que anualmente atrai milhares de visitantes à zona ribeirinha, volta a associar-se aos restaurantes mais antigos e tradicionais desta zona da cidade, garantindo a qualidade e segurança alimentares que este ex-líbris requer.

Deste modo, os restaurantes À Ravessa, Casa Bica, Dona Barca, Forte e Feio, O Meco, Retiro do Peixe Assado, Ú Venâncio e Zizá voltam a exibir nas entradas dos seus estabelecimentos a insígnia “Aqui há Sardinha!”, identificação que assegura a sua participação no Festival da Sardinha e garante, aos visitantes, a qualidade e garantia de que, nestes estabelecimentos, poderão saborear a melhor Sardinha Assada da cidade, acompanhada com a batata cozida e a tradicional salada à Algarvia. São mais de dois mil lugares sentados, repartidos por oito restaurantes.

De referir que cada um destes estabelecimentos contribuiu com um montante simbólico que foi totalmente canalizado para a contratualização de artistas e associações culturais locais que assegurarão a animação de rua e do eixo dos restaurantes aderentes, num esforço conjunto que pretende integrar, envolver e dinamizar toda a baixa e zona ribeirinha da cidade.

Para quem deseje, no entanto, experimentar a deliciosa sardinha assada em pão caseiro, terá novamente à disposição dois pontos de venda junto à antiga lota, a cargo das duas coletividades locais, GEJUPCE Portimão – Gil Eanes Juventude Portimonense Clube e Boa Esperança Atlético Clube Portimonense.

Para os que menos apreciem a sardinha assada, os menus de petiscos regionais continuarão a ser uma opção na zona dos expositores.

Animação Musical para todos os gostos
A nível musical, o destaque mantém-se no programa de artistas que diariamente, a partir das 22h00, animará todos os visitantes no palco principal, localizado junto à antiga lota, com concertos repletos de boa disposição e emoção. O cartaz musical arranca no dia 2 de agosto com Aurea, que vem apresentar o seu novo álbum “Restart”, e prossegue com o artista local Reflect (dia 3), o grupo musical Átoa (dia 4), a fadista Cuca Roseta, que apresenta o seu último álbum de originais “Riu” (dia 5) e termina com o espetáculo e boa disposição do compositor, produtor e cantor João Só (Dia 6).
Também no coreto haverá animação musical ao longo de todos os dias do festival, numa iniciativa a cargo da junta de freguesia de Portimão, com sonoridades várias que vão desde o Fado à Música Popular e à Música dos anos 60, 70 e 80. Entre 2 e 6 de agosto, entre as 19h30 e as 21h30, subirão ao palco do Coreto os artistas Renato Reis (dia 2), Teresa Viola (dia 3), Escola de Fado BEACP (dia 4), Sephirah (dia 5) e Fonte Nova (dia 6).

Artesanato, Petiscos e Doçaria Regionais
O artesanato, petiscos e doçaria regionais têm presença obrigatória neste evento que conta já com a participação de três dezenas de expositores, que prometem trazer até Portimão o melhor que o artesanato e o sector agroalimentar regionais podem oferecer.

Diversão para toda a família
No decorrer do Festival da Sardinha, e ao longo da zona ribeirinha de Portimão, existirão vários polos de atração para miúdos e graúdos, dos divertimentos infantis à feira do livro que decorre até 24 de agosto, passando pelas gargalhadas asseguradas com a peça de teatro “Noivo por Acaso”, com Fernando Mendes no papel principal, a decorrer de 3 a 27 de agosto, no Teatro Municipal de Portimão.

Como chegar ao Festival da Sardinha 2017
A chegada ao Festival da Sardinha poderá ser feito de diversas formas. Quem se deslocar de carro, poderá estacionar no Largo do Dique (5 minutos a pé); nos parques cobertos na Alameda (10 minutos a pé) e no Largo 1º de Maio (5 minutos a pé), na zona “Entre Pontes” (2 minutos a pé) e no Parque de Feiras e Exposições (10 minutos a pé). O Vai e Vem – Circuito Urbano de Portimão – é outra das hipóteses para chegar ao Festival da Sardinha, para quem se desloca entre a Zona Ribeirinha e a Praia da Rocha, através da Linha noturna 3N que assegura a ligação Largo do Dique/Fortaleza (Praia da Rocha).

O Festival da Sardinha começa pelas 19h00 e encerra diariamente à 01h00. O acesso é livre.

O Festival da Sardinha é uma organização da Câmara Municipal de Portimão, em parceria com a Associação Turismo de Portimão, a Junta de Freguesia de Portimão, a APS – Administração dos Portos de Sines e a EMARP – Águas e Resíduos de Portimão, com o patrocínio da Malo Clinic, No Solo Água, Socialgar Seguros, Sagres e Delta Cafés, e o apoio do Barlavento – Semanário Regional do Algarve e do Turismo do Algarve. O Festival tem, ainda, como rádio oficial a Alvor FM.

Toda a programação do Festival da Sardinha pode ser consultada em www.festivaldasardinha.pt

Categorias
Regional


Relacionado com: