Património algarvio vale 1,7 por cento do Orçamento de Estado

O montante de investimento regionalizado previsto no Orçamento do Estado (OE) 2019 para o Algarve, na área do Património, representa 1,7 por cento do total das verbas afetas aos projetos de investimento.

A denúncia foi feita hoje, terça-feira, dia 6 de novembro por José Carlos Barros, deputado do PSD eleito pelo Algarve, no debate na especialidade do Orçamento do Estado para 2019, questionando a Ministra da Cultura sobre as razões desta menorização e considerando «inaceitável a subalternização do Algarve na área do Património».

Para 2019, o Orçamento do Estado considera um montante de 370 mil euros a afetar à Direção Regional de Cultura do Algarve, o que significa uma redução de 5 por cento face aos valores de 2018 num orçamento global que cresce 86,9 por cento.

As verbas para o Algarve, aliás, são as únicas a descer, contrastando, por exemplo, com os aumentos de 41 e 51 por cento, nomeadamente, para as Direções Regionais do Norte e do Centro.

O montante de 370 mil euros afeto ao Algarve, por sua vez, compara com 1,86 milhões de euros para o Alentejo, 2,18 milhões de euros para o Centro e mais de 7 milhões de euros para a Direção Regional da Cultura do Norte.

Categorias
Regional


Relacionado com: