Lagoa apresentou metas estratégicas até 2025

O resultado de quatro anos de trabalho foi apresentado no sábado, 29 de julho, no Auditório Municipal de Lagoa, pelo presidente da Câmara Municipal de Lagoa Francisco Martins.

A proposta «Lagoa 2025 – planear e desenvolver o concelho» é segundo descreveu, um conjunto de «instrumentos que servirão de guião para o desenvolvimento futuro do concelho». Deste guião, ainda em aberto e sujeito a alterações, fazem parte diferentes planos para «responder aos grandes desafios de futuro num território extremamente competitivo».

O Plano Estratégico de Desenvolvimento, apresentado por Ana Rodrigues, da empresa RTGeo – Planeamento e Ordenamento do Território, resulta de um diagnóstico ao concelho, debatido em oito fóruns de discussão pública, realizados entre novembro de 2014 e março de 2015.

Assenta em cinco eixos, para que, «no futuro, o concelho, com a sua singularidade paisagística única e zona costeira e ribeirinha potenciadora de um turismo intenso, seja sustentável, inclusivo e acessível para todos».

Já o Plano Diretor Municipal (PDM), apresentado por Ricardo Tomé, também da RTGEO, está agora numa fase muito avançada. O atual executivo está recetivo a receber sugestões, «de forma a ter um instrumento mais dinâmico», sendo que já foram consultadas 22 entidades, até à aprovação final. Já o Plano de Reabilitação Urbana – IFFRU 2020, apresentado pelo técnico municipal Miguel Conduto, é um instrumento novo posto à disposição dos interessados em regenerar prédios e imóveis com mais de 30 anos, beneficiando de financiamento comunitário e licenciamento célere.

No que toca ao Plano de Mobilidade Urbana Sustentável, Paula Teles explicou que para Lagoa pretende-se «liberdade de caminhar, circular em bicicleta, e cumprir com a obrigatoriedade de transporte público para núcleos urbanos com mais de 40 pessoas».

Categorias
Regional


Relacionado com: