Jovens voluntários abrem Faróis de Santa Maria e Alfanzina no verão

Turistas e população vão ter oportunidades diárias de visitar as infraestruturas em julho e agosto. Única exceção é à segunda-feira.

A ideia é simples: abrir o Farol de Santa Maria, na ilha da Culatra, e o Farol de Alfanzina, em Lagoa, a visitas durante toda a semana, de 3 de julho a 31 de agosto, entre as 14h30 e as 18h30, com o apoio de jovens voluntários ao abrigo do programa ocupação dos tempos livres do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

A Autoridade Marítima Nacional autoriza, sendo que as autarquias de Faro e Lagoa, respetivamente, dão apoio logístico e asseguram o transporte dos participantes. Cativar os jovens para o trabalho e divulgar a iniciativa caberá à Associação de Designers do Sul e ao Lagoa Atlético Clube. O protocolo entre todas estas entidades foi assinado na terça-feira, 3 de julho, no Departamento Marítimo do Sul, em Faro.

Em condições operacionais, com os faroleiros de serviço, apenas é viável à guarnição realizar a abertura ao público à quarta-feira durante a tarde, o mesmo se passando com todos os faróis do país com guarnição permanente. No entanto, depois de uma primeira experiência bem sucedida no ano passado, que juntou a Direção-Geral da Autoridade Marítima (DGAM), o IPDJ, a Câmara Municipal de Faro e a Associação Igualmente diferentes, e que envolveu 14 jovens, «conseguiu-se que o Farol de Santa Maria estivesse aberto todas as tardes de julho e agosto, sendo de assinalar que nestes dois meses visitaram a infraestrutura 5519 pessoas. No período homólogo de 2016, durante o qual o farol abriu um dia por semana, foi visitado por 1600 pessoas. Ou seja, com este projeto tivemos um acréscimo de 3900 visitas, o que corresponde a 3,5 vezes mais», contabilizou Nuno Filipe Cortes Lopes, Capitão do Porto de Faro e Comandante da Zona Marítima do Sul.

«Este ano fomos um pouco mais ambiciosos, mas também prudentes, de forma a caminharmos com passos seguros. Além de mantermos esta excelente parceria para abrir novamente o Farol de Santa Maria a visitas durante todas as tardes de julho e agosto, vamos também iniciar o projeto em mais um dos seis faróis do Algarve, o de Alfanzina, que se situa no Carvoeiro», acrescentou ainda Nuno Cortes Lopes. A abertura só não se realiza à segunda-feira.

Há 30 faróis no continente, seis dos quais no Algarve «que são infraestruturas emblemáticas. Têm como missão principal o assinalamento marítimo e o auxilio à navegação, tendo em vista a segurança marítima. Porém, é inquestionável seu interesse cultural e arquitetónico, pelo que a DGAM tem todo o gosto e orgulho em os poder mostrar a quem os queira visitar. Além disso, com esta iniciativa, fomenta-se não só o gosto e conhecimento pelos faróis e pelo mar, como se divulga e promove o voluntariado jovem geral e cultural, o que é extremamente importante para a sociedade», considerou ainda o chefe do Departamento Marítimo do Sul.

A assinatura do protocolo foi presidida pelo Vice-Almirante Sousa Pereira, diretor geral da Autoridade Marítima Nacional, e contou com a presença de Freitas Artilheiro, diretor de faróis, Custódio Moreno, diretor regional do IPDJ, Luís Encarnação, vice-presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Sophie Matias, vereadora da Câmara Municipal de Faro, Paulo de Oliveira Serra, presidente do Lagoa Académico Clube e Bruno Boto, presidente da Associação de Designers do Sul.

Categorias
Regional


Relacionado com: