Itália é a aposta da easyJet em Faro para o verão 2018

Depois das ligações a França no ano passado, a companhia de baixo custo lança rotas para Milão, já a operar, e Nápoles, a partir de 24 de julho. No total, são 21 destinos de e para Faro.
José Lopes (ao centro) e a tripulação do voo EZY 2795.

Eram 9h15 de sexta-feira, 1 de junho, quando o Airbus A319-100, matrícula OE-LKO, com 154 passageiros a bordo, oriundo de Milão/Malpensa, Itália, aterrou na pista do Aeroporto de Faro. À saída do voo EZY 2795, os viajantes tiveram direito a chapéus de palha, óculos de sol e gerberas oferecidas por José Lopes, diretor easyJet para Portugal. O avião teve ainda direito a «banho» pelas viaturas dos bombeiros, tal como acontece na abertura de uma nova rota. Neste caso, a capital algarvia passa a ter dois voos semanais para Milão, à segunda e sexta-feira, até ao final do verão. E a partir de dia 24 julho, a companhia de baixo custo abrirá uma outra, para Nápoles, com três voos por semana, às terças, quintas e sábados. Segundo José Lopes, em termos de turismo, estas frequências permitem servir os segmentos de short e long-break, em ambos os sentidos.

«A grande aposta deste verão da easyJet em Faro é o mercado italiano. A Itália passa a ser o quinto país servido a partir do Algarve. Ou seja, passamos a ter 21 destinos, o que faz com que Faro seja o aeroporto em Portugal com mais destinos easyJet, ultrapassando Lisboa que, neste momento, tem 20», explicou aos jornalistas.

Já os 104 passageiros que aguardavam o embarque rumo a Milão, tiveram direito a bolo e a sumo de laranja. O gestor congratulou-se com os números. «São taxas de ocupação muito boas para um primeiro voo. Demonstra que havia uma procura não só no sentido Itália-Portugal, por ser o mercado emissor, mas também que houve uma reação automática por parte da comunidade italiana residente e dos portugueses, praticamente a encher o o voo de partida», considerou ainda.

«Depois de no ano passado termos apostado fortemente em novos destinos para França, desta vez, a aposta é Itália, diversificando assim a nossa rede. Em termos de volume, Lisboa ainda é o aeroporto com mais tráfego. Em termos de diversificação de rotas, contudo, Faro lidera», acrescentou. Em relação às expetativas da empresa para o verão IATA 2018, José Lopes está otimista, com a low cost a disponibilizar 1,8 milhões de lugares para Faro durante o corrente ano fiscal.

«Fechámos agora as contas do primeiro semestre. O maior crescimento foi no Aeroporto de Faro, na ordem dos 17 por cento», em comparação a igual período de 2017. «Foi mais do que a média nacional, de 8,4 por cento», o que representa 2,77 milhões de passageiros movimentados em território português. A taxa de ocupação situou-se nos 95,7 por cento, uma melhoria de 2,1 por cento em relação aos primeiros seis meses do ano passado.

A relação da easyJet com o Algarve, «já não é de agora, mas remonta há 20 anos. Temos vindo a apostar não só em rotas de verão, mas também no aumento da capacidade no inverno, sendo uma das companhias que mais trabalha na região para que se vá esbatendo o efeito da sazonalidade», reforçou o responsável, dizendo que ainda «há mais oportunidades para continuarmos a crescer» no futuro.

Sem querer desvendar o que está no prelo, José Lopes explicou a estratégia da companhia. «Um primeiro passo é o crescimento orgânico. Quando lançamos novas rotas, a nossa primeira preocupação é que se tornem mais fortes. E que, passo a passo, possamos estender frequências e períodos de operação, até que passem a operar, ao longo de todo o ano, e assim irem melhorando», explicou.

Alberto Mota Borges, diretor do Aeroporto de Faro, considerou que «esta operação é importante porque reforça a ligação a um mercado em crescimento. Felicitamos a easyJet pela robustez da sua operação no verão de 2018 e pelo contínuo esforço na diversificação da oferta de e para o Aeroporto de Faro. A aposta no mercado italiano é apoiada tanto pela ANA Aeroportos de Portugal, como pelo Turismo de Portugal».
Em território nacional, a companhia oferece 61 rotas para sete países (31 aeroportos) e tem 350 colaboradores.

Italianos à descoberta de Portugal e do Algarve

Presente na cerimónia de lançamento da nova rota Faro – Milão/Malpensa, Francesco Berrettini, cônsul honorário de Itália no Algarve desde abril de 2014, mostrou-se satisfeito, porque «as rotas diretas facilitam muito o fluxo» entre ambos os países, que, aliás, está a aumentar. «Sinto isso. Os comentários que os italianos fazem é que ficam muito surpreendidos com a beleza da paisagem, e com a forma de receber dos portugueses. Quando vêm cá descobrem coisas que nunca foram faladas na Itália, pela cultura e a gastronomia». O boca-a-boca ajuda a passar a mensagem. «Portugal está a ser mais conhecido porque entrou um pouco nos principais programas de televisão dedicados ao turismo. Está a começar a ficar na moda também em Itália», referiu. Francesco Berrettini não tem um número exato dos italianos a residir no Algarve, mas admite que há cada vez mais quem se queira instalar e viver na região. E não são só reformados. «Agora temos uma diferenciação demográfica que não havia antes. Muitos estão a descobrir o Algarve como destino para iniciar alguma atividade económica, desde a restauração às profissões liberais, como médicos e operadores de turismo». Neste sentido, o cônsul tem vindo a ser procurado por compatriotas que «vêm conversar para saber como se vive aqui. No âmbito da imparcialidade que temos de ter em relação às várias cidades do Algarve, contamos as diferentes mais-valias que existem em cada», embora Olhão e Lagos estejam nas preferências dos italianos.

Categorias
Regional


Relacionado com: