Festival da Sardinha abre portas com enchente

20 mil pessoas vibraram à beira-rio ao som de Matias Damásio.

Constituiu um sucesso o primeiro dia do Festival da Sardinha que ontem, 1 de agosto, atraiu cerca de 20 mil visitantes à zona ribeirinha de Portimão, onde não faltou a afamada sardinha assada e a animação musical com um espetáculo único de Matias Damásio e propostas para toda a família.

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, presidiu ontem ao final da tarde à inauguração do 24.º Festival da Sardinha, que até ao próximo domingo, 5 de agosto, dinamizará a zona ribeirinha de Portimão com muita animação musical.

Acompanhada por José Apolinário, secretário de Estado das Pescas, e tendo como anfitriã a Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, Ana Paula Vitorino cumprimentou os empresários e expositores presentes e envolvidos no certame, os quais propõem uma grande variedade de produtos, com destaque para a sardinha assada no prato e no pão, o artesanato, os petiscos e a doçaria.

A ministra destacou o peso económico da pesca da sardinha e a importância desta espécie para comunidade local, sobretudo em termos gastronómicos, fazendo ainda questão de assumir-se como «uma confessa apreciadora desta zona do Algarve».

Por sua vez, Isilda Gomes, Presidente da Câmara Municipal, sublinhou o programa de animação preparado para a época estival, «cheio de propostas culturais e desportivas, com espetáculos para todos os gostos, visando turistas e residentes».

Sobre a presença da ministra do Mar nesta 24ª edição, a Presidente da Câmara realçou tratar-se de «uma amiga de Portimão que vem reforçar a ideia de que esta é a capital da sardinha e nos transmite, digamos assim, um selo de garantia».

Ponte ferroviária vira Sardinha Iluminada

Um dos pontos altos da inauguração foi a iluminação da ponte ferroviária com a insígnia do festival, através de uma decoração com luzes LED, permitindo que, à noite, a entrada de Portimão e esta “zona da sardinha assada” ganhe um novo atrativo.

Recriação musical do «antigamente»

O Festival, que decorre na Zona Ribeirinha de Portimão até 5 de Agosto, é um dos principais cartões-de-visita do município e homenageia as raízes da sociedade local, ligada intimamente à pesca e à indústria conserveira. Prova disso foi à encenação do “Alar da rede” ao som do “Arribalé” com a participação do grupo Grupo Coral de Portimão e Orquestra de Acordeões da Academia de Música de Lagos que, ao unirem as vozes aos instrumentos, tornaram a inauguração oficial num momento especial, enriquecendo ainda mais este emblemático evento.

Sardinha assada no prato ou no pão

O característico aroma da sardinha assada que se faz sentir junto à Antiga Lota nos pontos de venda da sardinha no pão e nos oito restaurantes oficiais faz prova que a boa sardinha come-se em Portimão, e foram milhares os visitantes que neste primeiro dia deste festival puderam deliciar-se na zona ribeirinha.

Até domingo, 5 de agosto, a boa sardinha assada, acompanhada com batata cozida e salada à algarvia, como manda a tradição, pode ser apreciada nos oito restaurantes associados: À Ravessa, Casa Bica, Dona Barca, Forte e Feio, O Meco, Ú Venâncio, Retiro do Peixe Assado e Zizá.

A suculenta Sardinha no Pão é assegurada pelas associações locais Boa Esperança Atlético Clube Portimonense e GEJUPCE Portimão – Gil Eanes Juventude Portimonense Clube, e está à venda junto à Antiga Lota, sendo procurada por todos os que por ali passam, nem que seja para cumprir a tradição. A boa sardinha no pão come-se por 2,20 euros ou pode optar pelo menu que inclui bebida por 3,50 euros. Para os que menos apreciarem a sardinha assada, os menus de petiscos regionais são uma opção.

Para além da sardinhada e de outros petiscos, o artesanato também tem uma presença forte, havendo stands dedicados à doçaria e a outros produtos regionais que participam no festival.

Música para todos os gostos

No palco principal, diariamente às 22h00, um cartaz musical de grande qualidade com Tributo Total (dia 2), Raquel Tavares (dia 3), Ana Bacalhau (dia 4) e The Black Mamba (dia 5) prometem animar e tornar inesquecíveis as noites de todos os visitantes neste 24.º Festival da Sardinha.
Antes dos concertos no palco principal, a animação musical tem diariamente lugar no Coreto, a partir das 19h30, numa iniciativa a cargo da junta de freguesia de Portimão, com Renato Reis (dia 2), Fernando Siqueira (dia 3), Tiborna de Cantigas (dia 4) e a Escola de Fado do Boa Esperança (dia 5).

O Festival da Sardinha começa pelas 19h00 e encerra diariamente à 01h00. O acesso é livre.

O Festival da Sardinha 2018 é uma organização da Câmara Municipal de Portimão, em parceria com a APS – Administração dos Portos de Sines, a Junta de Freguesia de Portimão, e a EMARP – Águas e Resíduos de Portimão, com o patrocínio da Sagres, Delta Cafés, No Solo Água Portimão e Socialgar Seguros, e o apoio do Turismo do Algarve. O Festival tem ainda como rádio oficial a Alvor FM.

Toda a programação do Festival da Sardinha pode ser consultada aqui.

Categorias
Regional


Relacionado com: