Depósito em Olhão já está a ser reparado

Receio de colapso do depósito de água, no Bairro 8 de Outubro, em Olhão deu origem a boatos nas redes sociais. Empresa municipal Ambiolhão teve de emitir esclarecimento público.

Trabalhos no depósito de água do Bairro deram origem a uma fuga de água que lançou o pânico entre os moradores do bairro 8 de Outubro, em Olhão, na semana passada. Desde então, circulam nas redes sociais, imagens acompanhadas de mensagens de receio sobre um eventual colapso catastrófico da estrutura. Na sequência de vários pedidos de esclarecimento por parte de munícipes, a Ambiolhão enviou uma nota à imprensa para explicar o ponto de situação.

O reservatório «tem cerca de 70 anos e, ao longo destas décadas, têm sido desenvolvidos trabalhos de manutenção. Estão identificadas necessidades de intervenção, quer ao nível da manutenção da componente hidráulica (tubagens e acessórios), quer ao nível da estrutura do reservatório (cuba)», sublinha a Empresa Municipal de Ambiente de Olhão. Está definida como prioritária «a intervenção na componente hidráulica que apresenta maiores necessidades de reparação». Para este efeito, foi adjudicada a empreitada, através de processo de concurso público, à Hubel Indústria da Água e Obras Públicas, SA.

Os trabalhos «estão em curso, e revestem-se da maior importância para o sistema de abastecimento de água à cidade, permitindo substituir tubagens antigas cujo período de vida útil já se encontra ultrapassado, o que constituirá um garante do bom funcionamento deste sistema». O custo previsto ronda os 74 mil euros. Para já, «foram colocadas tubagens provisórias (visíveis no exterior), que permitem assegurar o abastecimento». No entanto, a empresa não esconde que «nestas últimas semanas, a situação da cuba do reservatório sofreu um ligeiro agravamento, verificando-se a escorrência de água em alguns pontos».

De imediato, foi solicitada uma intervenção de peritagem ao engenheiro Carlos Martins, especialista em estruturas, e professor do Instituto Superior de Engenharia da Universidade do Algarve, na passada sexta-feira, dia 23 de junho, «com o objetivo de avaliar e determinar as medidas a adotar de imediato», o que, segundo a Ambiolhão, «já havia sido efetuado anteriormente por outra entidade».

As fugas de água que têm causado alarme «devem-se a fissuras horizontais nas zonas de ligação entre diferentes betonagens. Não são devidas a esforços ou tensões, pelo que não deverá existir risco de colapso do reservatório, e muito menos da estrutura que o suporta. Será possível proceder à selagem das escorrências, com o depósito em pleno funcionamento». A Ambiolhão prevê que as reparações decorram até ao final desta semana. «Pode afirmar-se, portanto, que não existe qualquer risco associado àquele equipamento que possa pôr em causa a segurança de pessoas e bens, embora todas as intervenções tenham que ser faseadas, face ao volume avultado de investimentos a efetuar».

Categorias
Regional


Relacionado com: