«Dark Sky Alqueva» cativou empresários do Sotavento

A Casa do Sal de Castro Marim recebeu na segunda-feira, dia 20 de fevereiro, num ambiente informal, a segunda sessão de trabalho «Turismo & Boas Práticas» dirigida aos empresários do Baixo Guadiana.
Foto: Miguel Claro.

Os participantes tiveram oportunidade de conhecer o projeto «Dark Sky Alqueva», um caso de sucesso e inovação no interior do país. Criado em 2009, atrai hoje ao Alentejo turistas entusiastas do cosmos, astrónomos amadores e astrofotógrafos de todos os níveis. Está implementado num território com três mil quilómetros quadrados, que integra seis municípios em torno do lago do Alqueva, no qual foi posto em prática um programa de sustentabilidade.

«Entre outras medidas, implementamos ações de combate à poluição luminosa, de promoção da eficiência energética amigável para a astronomia, de proteção do ambiente e de criação e melhoria de uma rede de serviços para os astroturistas. É o primeiro do mundo a obter a certificação Starlight Tourism Destination pela UNESCO e pela Organização Mundial do Turismo, em dezembro de 2011», explicou a coordenadora Apolónia Rodrigues.

O lago do Alqueva estava também vocacionado para a náutica de recreio. Os investimentos tardavam, contudo, em surgir. «Assim, os empresários locais de turismo rural procuravam uma alternativa, que tivesse impacto e criasse atratividade. Estudámos as tendências de mercado e o céu surgiu como uma grande oportunidade, pois metade da população mundial que vive em cidades nunca teve acesso a um céu escuro», quer devido ao clima (céu nublado), quer devido ao excesso de iluminação artificial.

Em Reguengos de Monsaraz, em média, por ano, há 284 noites límpidas e escuras para observar o universo. Hoje, «temos muitas e diferentes atividades noturnas para oferecer», como a «canoagem à noite com observação astronómica e ceia», as «caminhadas noturnas pelas oliveiras milenares, rotas para a observação de fauna noturna, passeios a cavalo e provas de vinhos ao luar», enumerou a responsável.

As sessões «Turismo em Zonas de Baixa Densidade (Baixo Guadiana)» têm por objetivo combater a sazonalidade e as assimetrias entre o litoral e o interior, através da apresentação de certames, eventos, boas práticas, macrotendências e metodologias de sucesso no setor turístico. São dirigidas pela associação Odiana e pela empresa SPI.

Esta iniciativa conta com o selo da Odiana e surge no seguimento das aprovações da associação no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas (SIAC), PO CRESC Algarve 2020. O calendário das próximas ações será divulgado na página de rede social da Odiana em www.facebook.com/associacaoodiana/

Categorias
Regional


Relacionado com: