Apresentada candidatura para a criação da Estação Náutica do Baixo Guadiana

A apresentação da candidatura para certificação da Estação Náutica do Baixo Guadiana no âmbito da criação da rede das Estações Náuticas de Portugal que está a ser lavado a cabo pela Fórum Oceano – Associação para o desenvolvimento do cluster do mar, decorreu na quarta-feira, 16 de maio, na sede da Associação Naval do Guadiana, em Vila Real de Santo António.

A Fórum Oceano é uma associação privada sem fins lucrativos, de utilidade pública, que reúne mais de 120 associados de diferentes setores da economia do mar e que está mandatada pelo governo para o desenvolvimento do cluster do mar no nosso país.

Como membro da European Federation of Nautical Tourism Destinations (FEDETON), entidade gestora da rede internacional de estações náuticas, a Fórum Oceano, entidade certificadora nacional, participou nesta apresentação, representado por António Jose Correia, ex-presidente da Câmara Municipal de Peniche que ficou notabilizado por ter trazido o Circuito Mundial de Surf para a região oeste.

As Estações Náuticas são uma rede de oferta turística náutica de qualidade, organizada a partir da valorização integrada de recursos náuticos presentes num território e da sua promoção, já bastante difundias em Itália, França e Espanha e que tal como já acontece com as estações de esqui, estabelecem à volta de uma atividade um conjunto de oferta turística diversificada incluído alojamento, restauração, eventos culturais, divertimento noturno, entre outras.

A presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, presidiu à sessão e confirmou o apoio da autarquia à estrutura a criar reforçando a «necessidade de promover sectores específicos de turismo como forma de consolidação da economia da região e de criar emprego durante todo o ano».

A Associação Naval do Guadiana, que lidera a candidatura enquanto entidade coordenadora apresentou as linhas estratégicas da nova Estação Náutica do Baixo Guadiana.

O diretor da ANG, David Vasques da Silva, que será o coordenador da futura estação identificou os objetivo geral de «transformar um destino tradicionalmente sol e praia com orientação para as atividades náuticas num produto integrado acompanhado por uma oferta de alojamentos, gastromania, diversão, cultura e desporto otimizando os recursos naturais e humanos, assim como as infraestruturas existentes».

Para o presidente da ANG, Luís Madeira esta iniciativa poderá criar uma nova dinâmica turística regional centrada nos recursos náuticos do rio Guadiana, da baia de Monte Gordo, do levante algarvio e da zona poente da Costa de la Luz-Huelva, sendo este o território abrangido pela nova estação.

Terminada a fase da candidatura, vai iniciar-se uma fase de contactos com entidades e empresas do território abrangido com vista a participação alargada na entidade protocolada que se espera tenha luz verde para a constituição formal antes do fim do verão.

A sessão de apresentação contou com a presença das 25 entidades parceiras que vão subscrever inicialmente a candidatura, como membros do conselho náutico, entre as quais destacamos o município de Vila Real de Santo António, o município de Castro Marim, o município de Alcoutim, a Federação Portuguesa de Motonáutica, a Federação Portuguesa de Canoagem, a Federação Portuguesa de Vela, a Capitania do Porto de Vila Real de Santo António, a Escola de Hotelaria e Turismo de Vila Real de Santo António, a Associação Odiana, a Associação Terras do Baixo Guadiana, o Patronato de Deportes de Ayamonte, o Agrupamento de Escolas de Vila Real de Santo António a Nautiber, a Isla Canela SA, a Laranja Tours, a Mogal, SA, a Boat4you, entre outras.

Categorias
Regional


Relacionado com: