Apolónia lança nova iniciativa solidária de Natal

Livros, brinquedos e cabazes de Natal foram as prendas que a cadeia Apolónia trouxe a três instituições de Lagoa, Albufeira e Loulé.
A equipa do Centro de Apoio Social de Porches (CASP) com Hugo Andrade, diretor de marketing do Apolónia.

O Centro de Apoio Social de Porches (CASP), instituição que dá apoio a 43 crianças entre os 1 e 5 anos de idade e a 22 idosos, no concelho de Lagoa, inaugurou a nova iniciativa solidária que a cadeia de supermercados Apolónia quer tornar tradição durante esta quadra, na sexta-feira, 15 de dezembro. As crianças receberam livros, brinquedos e a direção teve direito a um cabaz de Natal, para ser rifado ou consumido. «É a primeira vez que fazemos esta iniciativa, embora, sejamos abordados por instituições quase todos os dias. Infelizmente, não conseguimos chegar a todas, mas damos resposta à maioria. Neste caso, decidimos fazer o inverso e abordar instituições inseridas na comunidade onde estão presentes as nossas lojas», explicou Hugo Andrade, diretor de marketing da marca Apolónia. «É uma forma de nos aproximarmos, de estarmos presentes e de alguma forma, criar relações», sublinhou.

Teresa Correia, representante do Apolónia e Nuno Neto, presidente da APEXA.

Mateus Pequeno, diretor da CASP, não escondeu a satisfação deste pequeno gesto, até porque desde 2008, altura em que abriu portas, «ainda ninguém se tinha aproximado de nós» para ajudar. E há muitas necessidades. «Os nossos idosos estão cada vez mais de debilitados, por isso, precisamos de camas articuladas e de uma máquina de lavar roupa com capacidade de entre 8 a 13 quilos, para reforçar a lavandaria», disse ao «barlavento». A instituição está também a juntar fundos para abrir um berçário, resposta social que considera urgente.

Na terça-feira, dia 19, foi a vez da ACCA (Apoiando Crianças Carenciadas no Algarve), em Almancil, e da APEXA – Associação de Apoio à Pessoa Excepcional do Algarve, em Albufeira, acolherem a iniciativa do Apolónia. Segundo Wanda Crawford, da ACCA, esta associação tem colaborado com orfanatos, escolas, jovens incapacitados e crianças de famílias com problemas sociais.

«Compramos óculos, pagamos terapia da fala e fisioterapia, e damos todo o material escolar para que os mais carenciados continuem a estudar». Este Natal, a ACCA dará prendas de Natal a 2000 crianças, que de outra forma, nada teriam no sapatinho. Já assim é há 17 anos. «O Apolónia é um dos parceiros que tem tornado isto possível», sublinhou.

Luís Viriato (Exército de Salvação), Wanda Crawford (ACCA) e Teresa Correia, representante do Apolónia.

Nuno Neto explicou que a APEXA trabalha sobretudo a deficiência, num universo total de 450 pessoas, entre os 7 e os 25 anos. Uma das grandes prioridades é construir uma casa de banho adaptada na sede, na Guia, com a ajuda do mecenato. Também dinamiza o projeto «Pescador de Sonhos» que apoia «minorias étnicas» e «jovens mais vulneráveis ao insucesso e abandono escolar». Em relação ao Apolónia, a cooperação já se realiza há 10 anos, «em eventos pontuais». Depois desta primeira experiência, Hugo Andrade espera amadurecer e aumentar esta iniciativa solidária de Natal no próximo ano.

Categorias
DestaqueRegional


Relacionado com: