«Um recorde absoluto para o PS com uma quebra enorme do PSD» contabiliza Jorge Botelho

Em Tavira, Jorge Botelho não teve dificuldade em reconquistar mais um mandato com 6973 votos (58,35 por cento) nas urnas, contra os 2630 votos (22,01 por cento) da candidata social-democrata Elsa Cordeiro.

Para o autarca socialista reeleito «as campanhas eleitorais são sempre difíceis, mas esta foi uma campanha pela positiva. A mensagem que passou foi na linha da continuidade do mandato autárquico e daquilo que temos feito em muitas frentes. No primeiro, em termos financeiros e no segundo em com a realização de propostas. Agora vamos continuar esse trabalho com um programa muito ambicioso».

«A mensagem da continuidade passou, as pessoas perceberam isso e felizmente votaram. Este é um resultado extraordinário, supera o meu primeiro, que tive 6600 votos com 60 por cento das pessoas a votar. Para mim isto representa um recorde absoluto com uma quebra enorme do PSD. Elegemos mais um vereador, na assembleia municipal passámos de 10 para 13 mandatos em 21 e as juntas de freguesia, ganhámos-las todas com esmagadora maioria», disse ao «barlavento».

Dado este cenário favorável, a prioridade vai ser «continuar a obra. O compromisso que temos é continuar a reabilitar Tavira e continuar a criar emprego no concelho. Tavira está numa fase muito positiva de investimento, tanto municipal, público, como privado. E esse é um trabalho que tem de continuar. E obviamente, vamos continuar a vertente social, apoiar as pessoas, as escolas, toda essa componente e com pagamentos a tempo e horas a fornecedores. Vamos trabalhar para o novo cineteatro, para a nova ponte. A obra continua».

Em relação ao resto do Algarve, Jorge Botelho considera que os resultados «são muito conservadores. O Partido Socialista continua a ser a maior força política da região e isso é importante no contexto atual do governo, e do projeto que está a ser desenvolvido no país. Penso que as pessoas reforçaram a confiança no PS e isso é o sinal muito positivo para continuarmos o progresso».

Botelho reforçou ainda o combate à abstenção com 53,25 por cento (11950 eleitores) dos 22440 votantes inscritos a irem às urnas.

No concelho, o Bloco de Esquerda teve 559 votos (4,68 por cento), o PCP-PEV somou 542 votos (4,54 por cento) e o CDS-PP com o 364 votos (3,05 por cento).

Houve 394 votos em branco (3,30 por cento) e 215 votos nulos (1,80 por cento).

Categorias
Política


Relacionado com: