Rogério Bacalhau quer reforçar a habitação social durante o novo mandato

Foi um dos compromissos assumidos pelo reeleito presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau, durante a instalação e tomada de posse dos novos órgãos autárquicos eleitos a 1 de Outubro. A cerimónia começou com a tomada de posse dos membros eleitos para a Assembleia Municipal, a que se juntaram os primeiros eleitos de cada assembleia de freguesia, no passado dia 11 de Outubro, no Teatro das Figuras.

No seguimento da tomada de posse dos 31 elementos que compõem a Assembleia Municipal foi dada posse ao novo executivo camarário presidido por Rogério Bacalhau, e que conta com os vereadores Paulo Santos (Vice-presidente), Sophie Matias, Adriano Guerra e Carlos Baía eleitos pela Coligação «Faro No Rumo Certo». António Eusébio, Dália Paulo, Miguel Sengo Costa e Carlos Gordinho foram eleitos pelo Partido Socialista.

Foram então colocadas a votação duas listas candidatas à Mesa da Assembleia. A Lista A liderada por Cristóvão Norte, cabeça da candidatura mais votada na eleição de 1 de Outubro, e a Lista B encabeçada por Luís Graça, nº 2 da candidatura do Partido Socialista, que ficou em segundo lugar. Nesta eleição foram registados 13 votos na Lista A, 14 votos na Lista B e 4 abstenções, tendo por isso a Lista B ocupado a Mesa da Assembleia Municipal e dirigido os trabalhos desde então.

Foi de seguida dada a palavra ao Presidente da Câmara que começou por dirigir-se, a todos os farenses «que participaram no ato eleitoral do passado dia 1».

Defendendo a descentralização e o poder autárquico, Rogério Bacalhau lembrou que este «é mais eficiente, mais económico e mais racional na utilização de recursos públicos do que outros poderes», alertando para «a diferença entre aquilo que é jurisdição das autarquias, que está recuperado ou em vias de revitalização, e aquilo que é da responsabilidade não se sabe bem de quem», para depois elencar várias situações que quer resolvidas pelo Governo, como a requalificação do Cais Comercial e de toda a Frente Ribeirinha, «do passeio ribeirinho à Doca e dali para Nascente».

Rogério Bacalhau aproveitou ainda para destacar algumas prioridades para o novo mandado onde se mantêm «o rigor nas contas e a gestão cuidadosa (…); o plano de requalificação de todo o espaço público – o Plano Faro Requalifica – que implica ajardinar a cidade, requalificar a Av. da República e recuperar algumas dezenas mais de quilómetros de pavimento e via pedonal na cidade e freguesias».

A erradicação das barreiras à mobilidade, por via de implementação do «Plano Faro Acessível», a conclusão do processo de revisão do PDM, a aplicação do Plano Municipal de Transportes, a recuperação de edifícios públicos devolutos ou degradados ou a criação de melhores condições para os trabalhadores nos Paços do Município, são outras prioridades do executivo.

A aposta na política social e o reforço da habitação social, requalificando a que existe, construindo novos fogos e tornando os bairros sociais em locais dignos, são outras das prioridades do executivo que quer «desenvolver a rede social e trabalhar com as Juntas de Freguesia».

Enaltecendo depois a notoriedade da Marca Faro, Rogério Bacalhau afirmou-se otimista em relação à candidatura de Faro Capital Europeia da Cultura 2027, «dentro em breve, talvez haja uma excelente notícia».

O edil finalizou depois o discurso com outra nota de confiança. «Daqui por quatro anos, Faro será um concelho ainda mais bonito, mais moderno e apreciado dentro e fora das nossas fronteiras (…) e todos os que aqui vivem serão mais felizes, em bases de prosperidade, justiça, qualidade ambiental e solidariedade».

O discurso de Rogério Bacalhau pode ser lido aqui.

Categorias
Política


Relacionado com: