Rogério Bacalhau considera «ultrajante» cerimónia «que respeito ao território e à vida de Faro» em Olhão

O presidente da Câmara Municipal de Faro Rogério Bacalhau considera «ultrajante para esta autarquia e para a população farense» que a cerimónia de assinatura de protocolo entre a Administração do Porto de Sines (APS) e a Direção-Geral da Autoridade Marítima (DGAM) para a instalação do posto marítimo no núcleo do Farol, na ilha da Culatra, agendada para hoje, quarta-feira, 26 de julho, no «os paços de um outro município, que não Faro»

A cerimónia está marcada para as 12h30 na Câmara Municipal de Olhão, com a presença da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e do ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes,

Rogério Bacalhau, em resposta ao convite que lhe foi dirigido pela tutela «considera lamentável ter sido feito com apenas 24 horas de antecedência, em desrespeito do mais elementar princípio da previsibilidade a que deve obedecer a gestão pública e, acima de tudo, em dissonância com a lealdade institucional que sempre manifestou junto dos ministérios do Mar e Defesa e do Governo da República».

Assim, o autarca farense não estará presente «devido a compromisso de agenda previamente assumido» e  «manifesta desilusão por, no caso, não ter havido uma consulta prévia ou, vá lá, uma informação sobre os dossiers em apreço que, tudo o indica, dirão respeito ao território e à vida da população de Faro – uma realidade que o Ministério do Mar parece desconhecer».

Categorias
Política


Relacionado com: