«Que pesca queremos no Algarve?» pergunta o Bloco de Esquerda em Tavira

O núcleo de Tavira do Bloco de Esquerda (BE) organiza, no sábado, dia 25 de novembro, um encontro de trabalho dedicado à pesca artesanal na região do Algarve com o objetivo de debater os problemas atuais e explorar caminho para o futuro do setor das pescas.

A iniciativa, co-organizada pela Comissão Coordenadora Distrital do Algarve e o núcleo de Tavira do Bloco de Esquerda, tem lugar na sede da Associação de Armadores e Pescadores de Tavira – APTAV, a partir das 15 horas, e reunirá pescadores e organizações do sotavento algarvio ligadas ao sector das pescas, com os deputados João Vasconcelos e Carlos Matias.

Recentemente, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda propôs ao governo um conjunto de recomendações que, resumidamente, visam várias medidas.

O BE pretende iniciar um programa de apoios à renovação da frota pesqueira nacional e a promoção da construção de embarcações mais modernas e melhores condições de trabalho e segurança. Além disso, quer possibilitar o desenvolvimento e instalação de um novo software de suporte ao diário de pesca eletrónico (DPE), bem como a formação dos respetivos utilizadores.

Nas sugestões apresentados ao governo, os bloquistas recomendam que o governo desenvolva uma estratégia nacional de apoio à investigação e preservação dos recursos marítimos, e que crie um balcão único para pedidos de registo, processamento e alteração de documentação para as embarcações. Aliás, esta é uma reivindicação não só dos homens do mar, mas também de armadores e de empresas ligadas à construção naval.

Por outro lado, o BE quer diminuir os custos das taxas e emolumentos aplicados ao sector da pequena pesca, e alargar a rede de pontos de descarga e venda de pescado de forma a aproximar esta estrutura dos postos tradicionais de descarga das comunidades piscatórias.

Outra preocupação desta força política é a promoção de ações concretas para solucionar o problema do assoreamento nos portos de pesca onde o problema ocorre, como é o caso da Fuzeta e também de Lagos. Na agenda, está também o acesso à profissão marítima e a formação profissional.

Assim, o núcleo de Tavira do Bloco de Esquerda (BE) convida a profissionais do sector e toda a comunidade a participar e a vir debater com os pescadores e as suas organizações estas propostas e completá-las, bem como, conhecer as preocupações concretas do Algarve, em particular de todo o Sotavento.

Categorias
Política


Relacionado com: