PSD de Portimão rejeita «taxa de proteção civil»

A Comissão Política Concelhia do Partido Social Democrata (PSD) de Portimão repudia a criação do novo imposto mascarado de «Taxa de Proteção Civil», que o Partido Socialista (PS) de António Costa propôs e viu aprovado no Orçamento de Estado de 2019. Os social-democratas querem que Portimão rejeite esta medida, até porque os portimonenses já demonstraram não aceitar esta taxa em 2014.

Aliás, a estrutura política relembra a sua posição contra em relação à taxa municipal cobrada pela autarquia, nesse ano, entretanto extinta. A petição contra esta cobrança obteve mais de 4 mil assinaturas dos portimonenses o que levou a situação a Plenário da Assembleia da República.

«À data de hoje, com a mesma coerência de há anos, mas com ainda maior ligação à vontade demonstrada pelos portimonenses, entende o PSD de Portimão que uma nova aplicação de um imposto denominado de Taxa de Proteção Civil é um contrassenso face ao que o governo socialista defende, quando se refere a um país mais desafogado financeiramente e com um orçamento bom para as famílias, mas que na realidade aplica a maior carga fiscal de sempre em Portugal», argumenta o presidente da concelhia Carlos Gouveia Martins.

Categorias
Política


Relacionado com: