PS Faro desmente direita acerca de OE 2018

A Comissão Concelhia do Partido Socialista (PS) de Faro insurgiu-se contra aquilo que apelida de «maledicência» da direita em relação à proposta do Orçamento de Estado (OE) para 2018. Em causa estão as acusações de que o documento não prevê «investimento no Algarve». Por esta razão o PS de Faro desmente as acusações, usando como exemplos cinco dos projetos que estão a ser realizados na capital algarvia.

«O governo de António Costa já abriu concurso para a construção da nova ponte para a ilha de Faro, a mesma que o presidente da Câmara do PSD [Rogério Bacalhau] havia prometido em 2014, mas que não passou de promessa eleitoral, porque o governo da coligação PSD/CDS nunca conseguiu assegurar a sua execução. O PSD prometeu… O PS faz acontecer», afirmam. A nova ponte para a Praia de Faro representa um investimento de 2,5 milhões de euros, que terá início em 2018 e que é assegurado em 80 por cento pelo Ministério do Ambiente, através da Sociedade Polis Litoral Ria Formosa, cuja componente nacional é assegurada pelo Orçamento de Estado 2018.

O governo, «através da Docapesca, está a realizar a requalificação da muralha da Doca de Faro que esteve abandonada ao longo de muitos anos, no imediato com um investimento de 100 mil euros», continua o PS de Faro. Por sua vez, deverá terminar no final de 2018 a construção da nova Estação de Tratamento de Águas Residuais Faro/Olhão, num investimento de 13,9 milhões de euros, lançado pelo atual governo socialista, aponta ainda aquela concelhia.

As últimas duas intervenções usadas como exemplo pelos socialistas farenses são a execução do Plano de Intervenção e Requalificação da Ilha da Culatra, que custa aos cofres do estado 1,2 milhões de euros, e a Variante Norte à Estrada Nacional 125 a Faro, «obra cuja construção foi lançada pelo anterior governo do PS, suspensa entre 2011 e 2015 pela coligação PSD/CDS e concluída já pelo atual governo socialista». Esta intervenção foi executada, segundo o PS de Faro, com recurso à Parceria Público Privada (PPP) Algarve Litoral e, portanto, está previsto em OE a tranche correspondente ao pagamento anual.

«Todos nós queremos sempre mais e melhor investimento para o Algarve, mas não podemos tolerar a maledicência e a hipocrisia da direita que, quando recentemente esteve no governo, não só não fez, como parou as obras que estavam em curso» na região, afirmou o presidente daquela estrutura Luís Graça.

Faro terá Orçamento Participativo

Por proposta dos vereadores eleitos pelo Partido Socialista, a Câmara Municipal de Faro aprovou na reunião de 20 de novembro, a implementação do Orçamento Participativo (OP) no concelho. Esta deliberação terá uma afetação mínima de 5 por cento para despesa de investimento do Orçamento Municipal ao OP e a constituição de um grupo técnico de trabalho que no prazo de 60 dias apresente proposta que viabilize a sua implementação, com início já em 2018, com vista à inscrição das propostas mais votadas no Orçamento Municipal de 2019.

Categorias
Política


Relacionado com: