JSD do Algarve quer implementar projeto de voluntariado em Monchique

A Juventude Social Democrata (JSD) do Algarve decidiu pôr «mãos à obra» e desenhou para o concelho de Monchique, com o apoio e em articulação com a Câmara Municipal local, associações de solidariedade social, Instituições Particulares de Solidariedade Social e empresas da região, um projeto de voluntariado.

A estrutura política, liderada por Carlos Gouveia Martins, vai, assim, colocar «os jovens algarvios ao serviço da solidariedade social por uma causa maior», sendo a intenção «reabilitar imóveis de famílias carenciadas, permitindo um futuro mais acolhedor» para as pessoas que têm mais dificuldades.

A Comissão Política Distrital da JSD está a ultimar pormenores para apresentar ao presidente da Câmara Municipal de Monchique, Rui André, as linhas orientadoras finais deste projecto de voluntariado para a recuperação de imóveis habitados por famílias carenciadas. A intenção é que o projeto avance no terreno, com a primeira reabilitação, até julho deste ano.

«A JSD do Algarve entende que esta ação é de extrema importância», até porque está associada a um dos «direitos fundamentais consagrados na Constituição da República, o direito à habitação», explicou Carlos Gouveia Martins em nota de imprensa.

«Em 2007, foi criado o Programa para o Conforto Habitacional, que exigia requisitos bastante restritos, uma vez que apenas abrangia idosos que recorressem a centros de dia ou a lares de terceira idade por falta de condições dos seus domicílios», esclareceu ainda.

Dos 16 concelhos algarvios, cinco foram identificados como potenciais pontos críticos onde deveriam existir intervenções ao abrigo do referido programa. Monchique foi um desses cinco concelhos, não chegando, porém, a ser efectuada qualquer intervenção, resumiu o líder dos jovens sociais-democratas algarvios.

A JSD do Algarve relembra ainda que, em 2013, o Programa para o Conforto Habitacional foi extinto por falta de apoios e acordos. Por esta razão, a estrutura distrital considerou que Monchique, tendo sido considerado um dos concelhos críticos, continue sem um programa de apoio às famílias que mais precisam desta ajuda.

A JSD do Algarve propõe, e enviará às entidades competentes, um Programa de Reabilitação Urbana e Social que contenha requisitos mais amplos, abrangendo todas as faixas etárias e agregados familiares que usufruam do Rendimento Social de Inserção e residam em imóveis que careçam de intervenção.

Categorias
Política


Relacionado com: