JS Algarve também congratula criação do CHUA e responde à JSD

Ricardo Calé.

A Juventude Socialista (JS) do Algarve felicita o governo e a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve pela decisão de acabar com o anterior modelo de gestão hospitalar na região e optar pela criação de um Centro Hospitalar Universitário, conforme divulgou, esta tarde, 28 de março, em nota de imprensa.

Esta nova estrutura integrará, segundo os jovens socialistas, a gestão dos «hospitais de Portimão e Faro, o Centro de Medicina e Reabilitação Física do Sul e um pólo de investigação na Universidade do Algarve, permitindo uma maior integração do Curso de Medicina na gestão da saúde na região».

A mesma estrutura realça ainda o facto do novo modelo possibilitar a recuperação das valências perdidas pelo antigo Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio (CHBA), em Portimão, «devido ao anterior modelo de gestão, que tanto penalizou a saúde pública na região», sendo, inclusive, a unidade que, segundo Paulo Morgado, novo presidente da ARS, a que mais perdeu com a fusão dos centros hospitalares algarvios.

Para a JS Algarve, liderada por Ricardo Calé, é assim «fundamental a mudança da estratégia que estava a ser levada a cabo pelo anterior governo, onde se verificou a vontade de desmantelar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) no Algarve, deixando os hospitais da região numa situação caótica e onde se registou uma degradação sem precedentes da qualidade dos serviços».

As políticas implementadas que representaram um custo elevado para a saúde dos algarvios, representarão também um custo elevado nas próximas décadas para a reposição dos níveis de dignidade e de resposta adequados às necessidades da região, sublinhou a estrutura em nota de imprensa.

Em jeito de resposta ao comunicado divulgado esta manhã pela Juventude Social Democrata (JSD) do Algarve, a Juventude Socialista relembra que «fazer política com seriedade não é só fazer propostas, quando se está na oposição».

Os jovens socialistas lamentam «o silêncio ensurdecedor de algumas forças políticas da região sobre esta matéria durante os quatro anos de governo PSD/CDS», sublinhando que estas tentam agora «escandalosamente» ficar «indevidamente com o mérito sobre propostas lançadas em festas partidárias de verão», como a de agosto de 2016, «muitos meses depois de o Partido Socialista e da Juventude Socialista as defender. A JS refere-se assim à Festa do Pontal, onde o líder da JSD do Algarve defendeu a criação deste centro universitário no discurso que fez.

A JS Algarve aproveita também, tal como fez a JSD, para relembrar alguns factos. Assim, dizem os socialistas que a 12 de dezembro de 2015, em congresso regional da JS, onde foi «eleito Ricardo Calé como presidente da estrutura», foi apresentada uma moção sobre o assunto. «Neste mesmo Algarve, formam-se jovens nas mais diversas especialidades de saúde e é fundamental demonstrar que os nossos jovens, formados na nossa Universidade do Algarve, são parte da solução e estão dispostos a contribuir para que a saúde no Algarve atinja o nível de qualidade que os seus habitantes merecem».

Já a 15 de dezembro de 2015, «por iniciativa do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, a Comissão de Saúde da Assembleia da República deslocou-se ao Algarve». Nessa visita, Luís Graça, deputado do PS referiu que era «necessário efectuar uma avaliação rigorosa sobre o que falhou e virar a página, estabelecendo para a saúde no Algarve uma nova missão académica e assistencial promotora da colaboração e parceria entre os hospitais, centros de saúde e o curso de medicina da universidade do Algarve», lê-se na nota de imprensa.

Já 11 de março de 2016, Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde, deslocaram-se ao Algarve, para apresentar o novo Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Algarve, tendo reunido ainda com o Reitor da Universidade do Algarve, com vista ao desenvolvimento do consórcio entre a Universidade e o Centro Hospitalar, tal como o «barlavento» noticiou na altura.

Os jovens socialistas recordam ainda que a 8 de abril de 2016 foi publicada a Portaria nº 75/2016, que, no artigo 1º, refere a criação do «consórcio entre o Centro Hospitalar do Algarve, EPE, e a Universidade do Algarve», visando «fortalecer as sinergias entre o Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina e o Centro Hospitalar do Algarve, EPE».

No entanto, a JS Algarve, após recordar os factos, congratula na mesma a difusão de notas de imprensa de outras juventudes partidárias sobre o tema, «ainda para mais por estas felicitarem o novo presidente da ARS e o novo modelo de gestão implementado pelo governo PS».

A estrutura, à qual preside Ricardo Calé, «considera que não será fácil, nem instantânea, a recuperação da qualidade dos cuidados hospitalares na região», mas acredita «que este novo modelo abre as portas ao início de um processo de transição que tem condições para levar de novo a saúde a bom porto no Algarve», concluem.

Categorias
Política


Relacionado com: