João Vasconcelos quer resposta urgente do governo para caos vivido no Hospital de Faro

Os deputados do Bloco de Esquerda João Vasconcelos e Moisés Ferreira pediram hoje, dia 8 de janeiro, na Assembleia da República, esclarecimentos ao «caos» nas Urgências da unidade de Faro do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA).

«Neste fim de semana veio a público uma denúncia feita por um grupo de enfermeiros do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) referindo uma situação de caos nas urgências do Hospital de Faro. Na denúncia foram mostradas fotos em que se veem salas cheias de macas e doentes em situações deveras indignas. Tal situação será devida à falta de profissionais, em particular de enfermeiros, provocando uma crescente degradação das condições assistenciais aos seus utilizadores», lê-se na pergunta dirigida por escrito ao Ministério da Saúde.

Os deputados do Bloco lembram ainda que «já no final de dezembro passado o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) tinha chamo a atenção que o Algarve não tinha o número suficiente de enfermeiros para dar resposta ao pico de gripe que se avizinhava, e que o CHUA iria perder cerca de 40 enfermeiros em janeiro/fevereiro, não obstante o mesmo concurso nacional dar 65 destes profissionais aos quadros da ARS. De acordo com o Sindicato são necessários 1.800 enfermeiros para o mapa de pessoal do CHUA (em maio trabalhavam 1452)».

Assim, João Vasconcelos e Moisés Ferreira defendem que, «a ser verdade a denúncia, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda considera esta situação gravíssima, devendo o Governo tomar medidas urgentes para repor o normal funcionamento nas urgências do Hospital de Faro. Não basta que o CHA mude apenas de nome para CHUA, o que importa verdadeiramente é a normal prestação de serviços de saúde, com toda a dignidade, no Centro Hospitalar Universitário do Algarve, com o recurso aos profissionais necessários – enfermeiros, médicos, técnicos de saúde e assistentes operacionais».

«Atendendo ao exposto, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda quer saber se o Ministério da Saúde tem conhecimento da situação que se vive nas urgências do Centro Hospitalar Universitário do Algarve? Considera o governo agir com urgência para resolver essa anómala e muito grave? Que medidas vai o governo empreender? Qual o número de profissionais em falta, por especialidade – médicos, enfermeiros, técnicos de saúde e assistentes operacionais, para que os diversos serviços de saúde, incluindo as urgências, funcionem com normalidade nos diferentes polos do CHUA (Hospital de Faro, Portimão e Lagos e Centro de Medicina Física e de Reabilitação de São Brás de Alportel)? Quais as especialidades do CHUA mais carenciadas?», questionaram os parlamentares.

Categorias
Política


Relacionado com: