Foi uma campanha como «não há memória» reconhece Vítor Guerreiro

Vítor Guerreiro está pronto para assumir de novo os comandos da autarquia.

«Não há memória de uma campanha como esta em São Brás e já ando nisto há muitos anos. Foi muito trabalho», reconheceu o autarca socialista novamente eleito Vítor Guerreiro, em declarações ao «barlavento».

«Foi muito trabalho. Posso dizer que a campanha principal foi durante quatro anos, ou seja, é o trabalho que nós fazemos. E esta é uma vitória que é um reconhecimento da nossa população, acima de tudo, pela grande equipa que eu tenho a acompanhar. Este resultado, dedico-o a todos os grandes homens e mulheres que fazem parte das nossas listas. É uma grande satisfação ter mais uma vez a confiança dos sambrasenses, agora reforçada, para podermos continuar a desenvolver o nosso concelho», sublinhou em reação à vitória eleitoral.

«A grande alegria é podermos continuar o projeto que temos para tornar São Brás de Alportel um concelho dos melhores do país, onde as pessoas podem viver. É esse o nosso grande objetivo e é isso que vamos fazer. A campanha para as próximas autárquicas começa amanhã».

Em termos de prioridades, «vamos começar a preparar o orçamento municipal para 2018. E vamos calendarizar de acordo com aquilo que os projetos mais avançados e as oportunidade de financiamento. Temos muito trabalho pela frente. Um dos projetos que vai arrancar já é a requalificação do primeiro troço da Avenida da Liberdade, porque é uma candidatura que já está aprovada e é a segunda fase da requalificação do Largo de São Sebastião. Acima de tudo, o que eu quero é que este mandato, será para resolver os problemas das pessoas, pequenas intervenções que por vezes são a obra mais importante da vida de cada sambrasense, para a sua qualidade de vida. A grande obra deste mandato será um sorriso na cara de cada sambrasense».

Em São Brás de Alportel Vítor Guerreiro enfrentou a oposição feroz de Bruno Sousa Costa, candidato à Câmara Municipal pela coligação «São Brás de Alportel Primeiro» (PPD/PSD, CDS-PP, MPT, PPM).

No entanto, o socialista conseguiu uma vitória confortável com 3218 votos (61,80 por cento) contra os 1481 votos (28,44 por cento) do rival. O PCP-PEV conseguiu 328 votos (6,30 por cento). Houve ainda a registar 112 votos brancos (2,15 por cento) e 68 nulos (1,31 por cento).

Categorias
Política


Relacionado com: