Faro despede-se de Carlos Lourenço

A Comissão Política Secção do PSD de Faro lamenta profundamente o falecimento do seu militante histórico Carlos Alberto Fernandes Lourenço, ocorrido hoje em Faro. Natural de Lisboa, onde nasceu em 1940, aderiu ao nosso partido logo em 1974, após estabelecer-se no concelho de Faro.

«Aqui pautou a sua militância por um valoroso sentido de lealdade à causa da Social-Democracia, tendo ocupado lugares da maior relevância política em diversos órgãos do nosso partido. Entre outras, estas qualidades valeram-lhe também a eleição pelos seus pares para Presidente da Assembleia Municipal de Faro, cargo que ocupou entre os anos de 1980 e 1982, durante o mandato do também Social-Democrata José Marciano Nobre. Foi ainda membro integrante do Gabinete de Apoio ao presidente João Negrão Belo. Nesta ocasião, em que vemos partir mais um dos elementos que constituíram um grande núcleo de homens e mulheres social-democratas que transformaram e modernizaram o nosso concelho, o PSD curva-se perante a memória de Carlos Lourenço, deixando à família e amigos a expressão da sua solidariedade», lê-se na nota do PSD/Faro enviada hoje à imprensa.

Oportunamente será dada informação sobre a data e o local das cerimónias fúnebres.

Também a Câmara Municipal de Faro emitiu uma nota de pesar. «Foi com um profundo pesar que tomámos conhecimento do falecimento de Carlos Alberto Fernandes Lourenço, antigo presidente da Assembleia Municipal de Faro (1980/82)».

Nesta «triste ocasião, não pode a Câmara Municipal de Faro deixar de expressar as mais sentidas condolências à família e amigos de Carlos Lourenço, homem de grande simpatia e amabilidade que na década de setenta escolheu Faro para viver e iniciar um percurso de dedicação e entrega à causa pública».

Empregado bancário, empresário e comerciante em diversas áreas de atividade, Carlos Lourenço abraçou o serviço público, tendo chegado mesmo a assumir a presidência da Assembleia Municipal de Faro em novembro de 1980, durante o mandato autárquico de José Marciano Nobre. Posteriormente, em 1986 exerceu funções no Gabinete de Apoio à Presidência, tendo depois integrado os quadros dos antigos serviços municipalizados.

«Carlos Lourenço despede-se de todos nós aos 78 anos, deixando para trás uma memória de grande humanidade e respeito e uma postura elevada, que a todos marcou».

Categorias
Política


Relacionado com: