Faleceu Cristóvão Guerreiro Norte

Faleceu, na segunda-feira, dia 28 de novembro, aos 78 anos, Cristóvão Guerreiro Norte, figura mítica da democracia em Faro e no Algarve no período pós 25 de abril. Natural de Almancil, filho de uma família pobre, tendo ajudado no campo como criança depois do falecimento do seu pai e parado de estudar após a quarta classe, Cristóvão Norte retomou mais tarde os estudos e formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, tendo exercido as funções de Delegado do Procurador-Geral da República e Conservador do Registo em diversas comarcas algarvias.

Foi fundador do PSD no Algarve e cabeça de lista e único eleito do PPD pelo círculo de Faro nas eleições à Assembleia Constituinte, em 1975 – as primeiras eleições livres depois do fascismo. Desempenhou as funções de deputado à Assembleia da República entre 1975 e 1991, sem interrupção. Nessa missão destacou-se em defesa do Algarve, apresentando inúmeros projetos de lei. Entre os quais destaca-se, em co-autoria com José Vitorino, o da criação da Universidade do Algarve, a maior e mais importante conquista da região nos últimos 40 anos.

Recebeu, em 2015, a distinção de deputado honorário da Assembleia da República. Foi deputado municipal em Faro e presidente do PSD Faro durante 21 anos, e vereador da autarquia farense entre 1997 e 2001.

Foi também escritor, tendo publicado a Monografia de Almancil, bem como diretor de uma publicação regional. «Para quem o conhecia sempre foi patente a fortaleza de espírito, a determinação e a profunda convicção que exibia. Um homem destemido, um social-democrata convicto, a quem todos devemos muito», sublinha o PSD de Faro em nota de pesar enviada às redações. A concelhia «declara que a estrutura se encontra de luto pelo período de três dias, interrompendo por esse tempo a atividade política. Na ocasião, endereçamos as nossas sentidas condolências à família e amigos», votos que a equipa do «barlavento» subscreve.

Categorias
Política


Relacionado com: