BE apresenta nova proposta contra a «hipocrisia e batota política» na A22

Na quarta-feira, dia 18 de julho, será votado na Assembleia da República mais um Projeto de Resolução do Bloco de Esquerda, «propondo a abolição das portagens na Via do Infante. Trata-se da sétima proposta que o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda apresenta nesta legislatura, incluindo nos Orçamentos de Estado. Todas as anteriores propostas foram inviabilizadas por PS, PSD e CDS», segundo informa, em nota de imprensa, o deputado João Vasconcelos.

Este projeto do BE que vai a votação no dia 18 de julho, «além da proposta para eliminar as portagens com urgência no Algarve, também recomenda ao governo que, de forma imediata, proceda à requalificação da EN125, entre Vila Real de Santo António e Olhão (segunda proposta nesta legislatura), e à correção da sinalização horizontal em alguns troços requalificados da EN125, entre Olhão e Vila do Bispo».

Para o BE, «tem sido lamentável e muito triste as querelas partidárias que se têm verificado nos últimos dias entre o PSD e o PS na região, com acusações mútuas, em torno da falta de requalificação da EN125 no Sotavento/Algarve. A propósito do Tribunal de Contas ter recusado o visto à revisão do contrato da subconcessão do Algarve Litoral, visto necessário para as Infraestruturas de Portugal procederem à requalificação da EN125 nessa zona do Algarve. Toda esta saga lastimável prende-se com a trapalhada que foi a revisão do contrato inicial empreendida em 2015 pelo anterior governo PSD/CDS. Mas o governo atual também fica muito mal na fotografia, ao não ter fornecido atempadamente os devidos esclarecimentos ao Tribunal de Contas. São assim culpados por toda esta situação negativa, tanto o PSD como o PS! E os utentes e populações são quem mais sofre, que tardam em ver a total requalificação da EN125. Juntamente com as portagens, tudo isto tem potenciado os acidentes rodoviários, com muitas vítimas mortais e feridos graves. O Algarve tem de estar acima dos prejuízos e das querelas partidárias».

Não é de admirar, então, que o BE se interrogue sobre «o que irão fazer desta vez, no dia 18 de julho, PS, PSD e CDS? Será que vão continuar a impedir a eliminação das portagens no Algarve? Será que vão continuar mergulhados no seu autismo permanente e trágico, quando a região – a principal região turística a nível nacional – continua a sofrer mais de 10 000 acidentes de viação por ano, com os seus inúmeros mortos e feridos? Será que vão continuar a ignorar que a EN125 – ainda por requalificar e requalificada numa parte – não representa uma alternativa credível à Via do Infante? Será que desconhecem, ou escondem, que a concessão da PPP A22, é prejudicial ao Estado e aos contribuintes em cerca de 40 milhões de euros por ano? Será que PS, PSD e CDS vão continuar a desprezar o Algarve e as suas populações?».

Para aquela força política, esta será «mais uma oportunidade para alterar as suas posições nefastas que têm tido com a região nos últimos anos. De nada servirá o facto dos deputados destes partidos eleitos pelo Algarve votarem a favor da abolição das portagens – estas continuarão a persistir na mesma. Trata-se de pura hipocrisia e batota política. Na próxima quarta-feira será tirada mais uma prova dos nove».

O Bloco de Esquerda «faz o que tem a fazer – estar ao lado e defender as populações. O seu Grupo Parlamentar continuará fiel ao lema adotado pelo Bloco/Algarve: “Levar as lutas do Algarve ao Parlamento!», conclui a nota.

Categorias
Política


Relacionado com: