Ana Passos candidata-se às Mulheres Socialistas do Algarve

Joaquina Matos, presidente da Câmara Municipal de Lagos, é a mandatária da campanha eleitoral da atual líder das mulheres socialistas algarvias. Conta ainda com o apoio de Isilda Gomes, autarca portimonense e da deputada Jamila Madeira.

A atual presidente do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas (DFMS) do Algarve Ana Passos vai avançar com a recandidatura à liderança deste órgão regional, cuja eleição está agendada para este sábado, 10 de março.

«Ainda há um longo caminho a percorrer para que a plena igualdade entre homens e mulheres deixe de ser um fenómeno inatingível para passar a ser uma condição inerente à existência humana e é a esse propósito que dedico também o próximo mandato», referiu a dirigente e também deputada socialista. A moção que apresenta a eleições é intitulada «Igualdade=Mais Justiça Social».

A atual líder conta com o apoio de Joaquina Matos, presidente da Câmara Municipal de Lagos, que convidou para mandatária, bem como da presidente da Câmara Municipal de Portimão Isilda Gomes e da deputada Jamila
Madeira.

Para os próximos dois anos de mandato, Ana Passos apresenta um programa político assente em cinco propostas de consenso, com o contexto socioeconómico regional e o cenário de governação atuais, que preconizam colocar o Algarve e o país na linha da frente da luta pela igualdade.

«Trabalhar para a plena conquista da igualdade de direitos, participando de forma empenhada na construção de condições que garantam uma sociedade sem preconceitos, é uma das metas definidas», afirmou ainda. Outros dos objetivos será favorecer a participação das mulheres na vida política do país, apoiar a continuidade de programas de formação e capacitação destas nas áreas de participação política, criando condições à escala regional para facilitar a integração nos órgãos de decisão pública, descreveu a também deputada.

«Estamos a viver um tempo novo, em que todos estão empenhados em reverter os efeitos de uma política que manteve refém o povo português, mas ainda há muito por fazem em prol da condição da mulher na nossa sociedade», sobretudo no que diz respeito à igualdade de oportunidades nas carreiras política e profissional, frisou Ana Passos que, aponta o défice de mulheres na presidência das autarquias locais como exemplo. A nível nacional são 32 os municípios geridos por mulheres contra os 276 geridos por homens, enquanto no Algarve apenas quatro dos 16 municípios são liderados por mulheres.

Categorias
Política


Relacionado com: