Pesca Submarina: adeus Croácia!

O Campeão Mundial e Campeão Europeu algarvio Jody Lot.

A pesca submarina é uma atividade lúdica e desportiva ainda desconhecida pelo grande público e sobre a qual pouco ou nada se sabe. Nada que, no entanto, impeça a seleção portuguesa e os seus atletas de conquistar importantes títulos internacionais, dos quais mais se destacam a conquista dos títulos de Campeão e de Vice-Campeão alcançados nos Campeonatos do Mundo de Pesca Submarina realizados em 2006, 2012 e 2014, respetivamente. A isto somam-se as mais recentes vitórias individuais dos atletas das quais se destacam o título de Campeão Mundial e de Campeão Europeu do algarvio Jody Lot, conquistado em 2011 e 2012, e a importante vitória do algarvio Matthias Sandech, na prova Atlantic Spearfishing International Master, de 2013.

Argumentos que fazem de Portugal uma das grandes seleções mundiais na pesca submarina, mas que em nada parecem impressionar a Federação Portuguesa de Atividades Subaquáticas (FPAS), a qual não foi capaz de garantir a participação portuguesa no Campeonato Euro-Africano de Pesca Submarina de 2017, que decorreu entre os dias 13 e 17 de setembro, na Croácia.

A proposta de apoio financeiro e material que a FPAS apresentou aos atletas convocados, digna de terceiro-mundismo, mereceu – a óbvia – rejeição por parte destes. Acresce, a lista de convocados apenas foi dada a conhecer cinco semanas antes da prova, impossibilitando os atletas de se preparem convenientemente e de recorrerem a um meio de financiamento alternativo (que infelizmente se tornou comum). Em resposta, o dirigente da FPAS justificou-se com os constrangimentos orçamentais, alegando que as não existem verbas para «ir mais além».

Contudo, o mesmo raciocínio parece não se aplicar aos atletas, na medida em que, ainda que de forma indiretamente, lhes foi imposto o suporte das despesas para que pudessem, em representação de Portugal, participar nesta competição.

Além de embaraçosa, esta situação contradiz frontalmente a retórica da valorização do mar (recorde-se da proposta de alargamento da plataforma continental portuguesa apresentada junto das Nações Unidas), e possibilita que se venha a questionar a capacidade da FPAS para organizar o Campeonato do Mundo de Pesca Submarina de 2018, que se realizará em Sagres. Aguardemos…

Categorias
Opinião


Relacionado com: