Em defesa das árvores

Ponham travão neste arboricídio...
Faro, Largo de São Pedro.

Declaração de interesse, gosto muito de árvores. São dos seres vivos que, pelo seu porte e dignidade, mais admiro. E um pequeno bosque faz-me as delícias. As árvores são uma das nossas melhores defesas contra as alterações climáticas.

Vem aí o dia da árvore, a 21 de março todos vamos ouvir falar da importância das árvores para a defesa do ambiente, na fixação do CO2 atmosférico, para amenizar o ambiente nas cidades e vilas, etc. Certamente veremos o nosso Presidente e o primeiro-Ministro de pá ou enxada em punho em mais uma sessão para patego ver.

Mas até uma semana antes, até 15 de março, vamos destruí-las, cortá-las, derrubá-las, matá-las. Está a ser um «arboricídeo» nunca antes visto. As árvores são as vítimas inocentes da incúria dos vários governos. Tal é a sanha predadora que mandam a Autoridade Tributária ameaçar: Se não cortas as tuas árvores levas uma multa pesada, a duplicar ainda por cima.

O ano passado morreu mais de uma centena de pessoas nos fogos. Foram as árvores que as mataram? Decapitaram a linha de comando do combate aos fogos no início desse ano que foi substituída por pessoas que mostraram a sua inexperiência. Foram as árvores? Não souberam enfrentar o fogo no início deixando-o tomar proporções alarmantes. Foi por causa das árvores? Os meios aéreos eram insuficientes. Foram as árvores que os não tinham previsto ou dispensado? O SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal) não funcionou, apesar de os seus problemas serem conhecidos de situações anteriores. O que é que as árvores têm a ver com isso? A GNR não tinha informação do que se passava e do estado do incêndio na estrada fatídica. E a culpa é das árvores que, por sorte dos governos, não podem falar nem defender-se.

Não sabem viver com a floresta, não sabem organizar esta vida em comum com a natureza. Deixam despovoar o interior. Cometem erros graves no tratamento e defesa da floresta. Extinguiram os Serviços Florestais e o Corpo Nacional de Guardas Florestais. Agora atiram a culpa para as árvores. Devem estar habituados a viver no meio da cidade longe da natureza e as árvores não lhes fazem falta. Nem sabem o que perdem.

Dizem-nos que é de uma lei de 2006 que agora querem aplicar a toda a brida. Se não foi aplicada antes por algum motivo foi. No meu entender por que é uma lei «contra natura». Cortar as árvores 10 metros em redor das casas? Que deserto! Todos sabemos (ou deveríamos saber) que as casas devem ter árvores de folha caduca para deixar passar o sol no inverno e fazer sombra no verão. Precisamos delas para climatizar as nossas casas. Mandam cortar nas árvores e gastar energia em aparelhos de ar condicionado. Cortar as árvores 10 metros de cada lado da estrada? Acabam-se as alamedas!  Que soalheira no verão! Tão belas que são as estradas rodeadas de árvores frondosas, onde apetece passear. Os carros não têm problemas pois têm ar condicionado, mas andar de bicicleta à torreira do sol passará a ser obrigatório. Imaginem a travessia da Serra do Caldeirão pela Estrada Nacional nº2, uma estrada cheia de curvas mas com uma envolvente linda que lhe dá toda a beleza e alegria ao passeio. Tirem-lhe as árvores em redor a ficamos com uma estrada desoladora. As copas das árvores devem estar a 4 metros umas das outras? Certamente as árvores deverão estar a mais de 12 metros de distância. Estou a imaginar muitos jardins públicos perderem metade das suas árvores. Imagino tentarem aplicarem estas regras na Quinta do Lago, devem ser poucas as árvores que ficam em pé. E no Campus de Gambelas da Universidade do Algarve, construído no meio de um pinhal? Vai tudo de razia num raio de 50 metros dos edifícios e só devem ficar umas árvores de quando em quando.

Uma coisa é limpar os terrenos e tirar o mato que ajuda a intensificar o fogo, outra coisa é tirarmos as árvores das nossas vidas. Estranho muito o silêncio dos grupos ecologistas e dos partidos que dizem defender a natureza. Devem estar a olhar para o lado a ver se escapam.

Por favor, tenham juízo e parem com estes crimes antes que seja tarde. A culpa é dos homens, não é das árvores.

Categorias
Opinião

Eng. Químico, Doutorado em Estrutura Molecular, Prof. Associado da Universidade do Algarve, aposentado. Activista político e social.


Relacionado com: