Bianca Oliveira, um precioso apoio do pedido ao altar

Carioca por nascimento, Bianca Oliveira tornou-se lacobrigense há sete anos, por casamento, residência e opção de vida.

Foi essa opção que a fez abandonar uma carreira de oito anos na advocacia, para se dedicar à consultoria de cerimónias e banquetes de casamentos, batizados, festas de debutantes, despedidas de solteiras e bodas de prata.

Embora tenha uma experiência de anos a ajudar as noivas nos preparativos para os seus casamentos, foi apenas no ano passado que fundou a empresa «Do Pedido ao Altar» – um passo que representa a formalização e a passagem do hobby à atividade profissional.

No corrente ano, já soma a organização de três casamentos e uma festa de comemoração dos 15 anos de idade, costume que não tem tradição na juventude portuguesa, ao contrário do que acontece no Brasil, na tradição das festas de debutantes.

Os projetos personalizados, desenhados e implementados por Bianca, às vezes com um ano de antecedência, retiram essa «dor de cabeça», peso e preocupação dos ombros dos noivos e familiares próximos, que podem continuar com a sua rotina diária, sabendo que a sua grande data será organizada a seu gosto.

barlavento – Na sua experiência, quem procura este tipo de serviço?
Bianca Oliveira: Noivos que se preocupam com a perfeição do grande dia, mas que não querem ter preocupações ou stress desnecessários com a sua organização.

Como se decide o projeto para cada caso?
O mais importante é a reunião inicial com os noivos. Nesse momento, transmitem-me as suas ideias e fazem-me saber qual o orçamento disponível e o tipo de serviço que pretendem. Tento sintonizar-me com o casal, tomando notas detalhadas dos pormenores das suas vidas, o modo como se conheceram, como se declararam, os seus restaurantes preferidos, as viagens que fizeram em conjunto, as histórias engraçadas que partilham, os seus hobbies. A essência do casal deve estar presente, de forma sublimada, de forma a ser reconhecida pelos convidados nos pormenores. Em suma, todo o projeto de decoração é criado por mim em função da personalidade e dos gostos dos clientes.

Pode explicar mais detalhadamente?
Disponibilizo três pacotes. O primeiro é o serviço «chave na mão», ideal para noivos com uma vida muito ocupada ou que vivam no estrangeiro. Tenho em carteira um vasto leque de profissionais, para todas as carteiras, que vão desde o catering à imagem e ao som, passando pela decoração floral. No segundo pacote, dedico-me apenas à decoração personalizada, criada de raiz e executada em sintonia com os outros fornecedores de serviços. A terceira opção contempla apenas a coordenação do dia do casamento. Mesmo assim, forneço aos noivos, na segunda e terceira opções, as ligações para uma variedade de fornecedores e prestadores de serviços que podem consultar, nas diversas áreas. Todos os programas são muito flexíveis.

Referiu noivos a viver no estrangeiro. Também há estrangeiros que vêm casar ao Algarve. Porquê?
Além dos irlandeses, que já o fazem há muito tempo, os brasileiros também começaram a vir casar a Portugal, porque têm cá família ou já cá viveram. Além disso, aproveitam para passar férias e conseguem uma festa de casamento mais acessível do que no Brasil.

Que dicas daria às noivas com um orçamento mais apertado?
Que coloquem a criatividade em prática e façam um planeamento atempado das suas finanças. Fazer um casamento intimista, com poucos convidados, é a minha primeira dica. Depois, é possível economizar fazendo algumas coisas «com as próprias mãos», como as lembranças aos convidados. Usem a imaginação.

As decorações também seguem modas. Qual a tendência para 2016?
Prefiro apresentar projetos atemporais, com a convicção de que a tendência futura vai no caminho da personalização, nos seus mínimos detalhes. Na minha opinião, não existe certo ou errado, tão-pouco regras preestabelecidas.

Que «casamento de sonho» aconselharia a uma noiva?
Escute o seu coração nas escolhas, sem se importar muito com as imposições sociais. Seja você mesma e não siga ideias predefinidas. Tenha personalidade.

O que é necessário para a organização perfeita de uma festa de casamento?
A assessoria tem de funcionar como o maestro de uma orquestra. Tem de perceber um pouco de cada setor – protocolo e etiqueta, som, iluminação, fotografia e vídeo, catering, flores, entre outras áreas. Só assim pode garantir que a festa tem um bom andamento e não sai do compasso. É necessário ter a noção do trabalho de todos os envolvidos. Mas, acima de tudo, que seja amiga dos noivos, entenda os seus sonhos e saiba realizá-los.

Esta wedding planner pode ser consultada através dos contactos 965 569 238 e biafsaoliveira@gmail.com (portfólio disponível em http://www.dopedidoaoaltar.com)

Categorias
Talento


Relacionado com: