Sistema de monitorização da Rocha da Pena e Fonte da Benémola ganha prémio INCF 2017

O município de Loulé voltou a destacar-se no contexto nacional pelas boas práticas ambientais. A candidatura do projeto de «Implementação de um sistema de monitorização de visitantes e de comunicação nas Paisagens Protegidas Locais da Rocha da Pena e da Fonte da Benémola» recebeu esta quinta-feira, em Lisboa, uma Menção Honrosa por parte do júri do Prémio ICNF – Uma Ideia Natural 2017.

Este projeto que será levado a cabo pela Autarquia e que mereceu esta distinção por parte do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), em parceria com o Fundo Ambiental, enquadra-se na valorização dos territórios em torno dos valores naturais e a manutenção dos habitats no âmbito da Rede Natura 2000. Inovação e criatividade, qualidade técnica ou a convergência com a missão da Rede Natura foram alguns dos critérios de avaliação do júri.

O Prémio ICNF – Uma Ideia Natural pretende contribuir para a inserção de vários atores na conservação e gestão do património natural do país, bem como apoiar projetos que incidam na conservação de valores e recursos naturais, na promoção ou manutenção da biodiversidade existente numa dada área, no restauro de habitats ou na valorização do território com base nos recursos naturais autóctones, isto é, uma ideia natural que promovesse o país, com atribuição de prémios aos três melhores trabalhos, num valor total de 150 mil euros, até um valor máximo de 50 mil euros por projeto.

Em 2017, os vencedores foram a «Recuperação de valores naturais – Habitats e espécies de zonas húmidas temporárias», candidatura da Universidade de Évora, a «Gestão integrada e promoção da biodiversidade de uma área de montanha na serra do Alvão», dos Baldios Freguesia de Alvadia, e «O caminho da suavidade», da Montis – Associação de Conservação da Natureza.

Este ano concorreram aos prémios 84 candidaturas, entre entidades públicas e privadas, ficando o Município de Loulé entre as quatros entidades que mereceram uma Menção Honrosa, por parte do júri do Prémio, juntamente com as candidaturas da Sociedade Portuguesa de Vida Selvagem «Redux – Redução das capturas acidentais em aves marinhas nas ZPE Aveiro-Nazaré e Ria de Aveiro», da candidatura da Câmara Municipal de Mértola «Francelho de Mértola» e da candidatura da EMAC – Empresa Municipal de Ambiente de Cascais, E.M., SA. «Intervenção em tanque de Beck».

Para o vereador do Ambiente, Carlos Carmo, este reconhecimento público vem premiar o esforço que o Município tem vindo a empreender no sentido de uma maior participação da sociedade na conservação de valores e recursos naturais, na manutenção da biodiversidade existente e na valorização do território com base nos recursos naturais existentes nas Áreas Protegidas que estão sob a sua gestão – a Paisagem Protegida Local da Rocha da Pena e a Paisagem Protegida Local da Fonte Benémola.

Categorias
Ambiente


Relacionado com: