Montenegro reduz rega de jardins para metade

O presidente da Junta de Freguesia de Montenegro, Steven Sousa Piedade, anunciou no sábado, 25 de novembro, a redução, em 50 por cento, da rega de jardins públicos na freguesia. Trata-se de uma medida preventiva para minimizar os efeitos da seca que atinge o país.

O autarca vai assim ao encontro das medidas aprovadas no âmbito do Plano de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca (PPMAES), que obrigam a uma redução do consumo urbano da água, nomeadamente no que concerne aos espaços verdes.

«A falta de água constitui uma forte preocupação para a Junta de Freguesia de Montenegro, pelo que faremos todos os esforços no sentido de garantirmos a sua preservação para o consumo humano, já que esta é a grande prioridade perante a seca severa que assola a nossa região e o país», sublinha Steven Sousa Piedade, que apela também à população para fazer o uso moderado da água.

«Os cidadãos têm de ter consciência de que o seu contributo é vital para a poupança da água. Se reduzirem ao máximo o seu uso estarão a colaborar para a preservação deste bem comum, tão seriamente comprometido nos próximos tempos», alerta Steven Sousa Piedade.

O PPMAES define como primeira prioridade na poupança de água reservá-la para o consumo humano e remete para os últimos lugares da mesma escala a rega de jardins, o enchimento de piscinas e o funcionamento de fontes ornamentais.
De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o mês de outubro foi o mais seco dos últimos 20 anos, com 30 por cento da precipitação normal para a época. No final do mês passado, todo o território de Portugal continental registava situação de seca severa (24,8 por cento) e extrema (75,2 por cento).

Categorias
Ambiente


Relacionado com: