Lagos tem rádio escolar inovadora para o sucesso dos alunos

Há quatro anos que a escola EB 2,3 As Naus, em Lagos, revoluciona o conceito de rádio escolar ao integrar na «emissão» conteúdos pedagógicos, transversais a todos os ciclos e áreas.
Jorge Figueira, 40 anos, professor de música e Paulo Soares, 43 anos, professor de português da escola EB 2,3 As Naus, em Lagos.

Jorge Figueira, 40 anos, professor de música e Paulo Soares, 43 anos, professor de português, são os mentores do projeto «Rádio Naus» que surgiu no final de 2012 com o intuito de ajudar os estudantes com problemas na fala, leitura e escrita, a melhorar as notas. Trouxeram o conceito e o know-how de escolas londrinas e aplicaram-no à realidade algarvia.

«Desde o início sabíamos que não queríamos uma rádio escolar tradicional, mas sim um projeto pedagógico. A nossa intenção era trabalhar a oralidade, a escrita e a cultura musical e começámos a fazer trabalhos com os alunos em formato de emissão, com vários programas que se apoiam em conteúdos programáticos das aulas e que podem ser partilhados com toda a comunidade», explicou Jorge Figueira ao «barlavento».

«Começámos por nos centrar nas nossas disciplinas. Por exemplo, se eu tiver que treinar com os meus alunos determinada leitura, porque não gravá-la para mais tarde recordar? Se tiver de ensinar os alunos a interpretar ou a escrever uma notícia, porque não gravar uma entrevista e publicar o produto final online? São bonitos registos de voz que ficam para a posterioridade», acrescentou Paulo Soares.

«Já colocámos filhos a entrevistar os pais sobre o que fazem no âmbito das suas profissões, criámos caixas de perguntas anónimas sobre sexualidade e convidámos uma enfermeira do Centro de Saúde a responder às mesmas e com a qual acabámos por realizar três programas de educação social, e com frequência, gravamos perguntas de língua portuguesa sobre conteúdos de gramática», detalhou.

«Outros professores usam estas emissões para lecionar», pois uma vantagem deste formato é que «desde que começámos a gravar partes das nossas aulas, os alunos desenvolveram as suas capacidades de autocrítica».

O projeto já foi inclusivamente apresentado em Londres e em algumas outras iniciativas no Algarve. O impacto foi tão positivo que a diretora da escola Paula Couto permitiu a criação de uma disciplina de opção artística: o atelier de rádio, direcionado para o 7º e 8º ano.

Disciplinas como a música, o português e inglês são as que deram origem à maioria dos programas gravados, e que estão disponíveis em formato podcast (ou seja, basta transferi-los para um dispositivo, por exemplo, um telemóvel).

Jorge Figueira e Paulo Soares garantem que a responsável «foi uma das primeiras pessoas a acreditar neste projeto», e mostram-se abertos a partilhar os resultados e a forma de o implementar com outros docentes e escolas, na região e no país. Para já, a «Rádio Naus» está presente nas redes sociais, no facebook.

Categorias
Educação


Relacionado com: