«Tapeçarias Ellegance» celebram 36 anos de êxito em Faro

Há três gerações na mesma família, as antigas «Alcatifas Petróleo» do avô Brandão são hoje as modernas «Tapeçarias Ellegance» da neta Bárbara.
Bárbara Brandão.

Bárbara Brandão, 21 anos e Ricardo Silva, 30 anos, sentem com satisfação o peso da responsabilidade acrescida ao darem continuidade ao negócio que está há 36 anos na mesma família. Em 1980 era o próprio avô de Bárbara que fazia à mão as tapeçarias e alcatifas «Petróleo». «Tudo tem origem no petróleo desde o fio, à trama, à ráfia… O meu avô fabricava alcatifas provenientes de poliéster e polipropileno são derivados desta indústria. Então teve a ideia de chamar às lojas «Petróleo». É um nome que fica no ouvido», explica Bárbara. E a prova que o avô tinha razão, é que os clientes não esquecem: «o petróleo não era aqui? Ainda na semana passada me fizeram esta pergunta», brinca.

«O meu avô criava as suas próprias coleções de alcatifas. Depois, além do fabrico dos tapetes, decidiu abrir as primeiras lojas. Na década de 1990 deixou de fabricar, mas manteve esta área de negócio». E porque os clientes «são fiéis, continuam a vir cá. Um deles uma vez trouxe um pedaço de alcatifa que queria replicar. Uma das nossas trabalhadoras mais antigas disse-me logo: isto foi feito pelo teu avô, que elaborava desenhos únicos e muito específicos», refere.

Em 36 anos muito mudou. O negócio floresceu e prosperou por todo o país, sofreu com crises, adaptou-se a novas realidades, modernizou-se e passou de geração em geração. Atualmente existe apenas a loja de Faro, que se mantém exatamente no mesmo local.

Do clássico ao moderno, disponibiliza dezenas de coleções. Centenas de cores, tamanhos, formatos e estilos. Brandão garante que «seja o que for que procura, nós temos», dada a grande diversidade da oferta. «Isto é de facto, um mundo».

A gama de produtos disponíveis varia de tapetes, a carpetes, alcatifas, PVC e até mantas, cujo preço pode ir dos 20 aos 3000 euros, do mais acessível ao topo de gama. Neste momento, estão na moda os tapetes com o pelo mais baixo, clássicos com aspeto gasto, e em tons de pastel, sóbrios.

Muitos dos artigos são importados da Índia, líder mundial, principalmente os tapetes shaggy (pelo alto) – mas também da Turquia, Bélgica e Holanda. Existem poucos produtos de origem portuguesa porque «já há poucas fábricas em Portugal que fabricam tapeçarias, e as que resistem praticam preços pouco competitivos» para a realidade do mercado atual. No entanto, o ex-libris da casa sempre foram as alcatifas: «vendem-se muito sobretudo a ingleses, alemães e franceses», explica.

Esta casa também aceita encomendas para peças por medida, personalizadas, e encarrega-se da montagem e instalação das mesmas, trabalhos de reparação e até acabamentos.

As entregas são gratuitas para a aquisição de artigos ou serviços a partir dos 200 euros. Por exemplo, solicitar a limpeza de um tapete de dois metros por um e quarenta, a partir de 22 euros.

Os responsáveis pelas «Tapeçarias Ellegance» acabam de lançar um novo website com a imagem corporativa renovada. Na calha está a abertura de uma nova loja na área de Lisboa, e a mudança para uma área maior e com mais exposição no Algarve. Outra notícia é que até ao final do mês, em jeito de comemoração do 36º aniversário, a loja oferece 36 por cento de desconto em várias coleções. A porta está aberta de segunda a sábado, entre as 10 e as 19 horas. Fecha domingos e segunda-feira de manhã. Pode ser contactada pelo 289 816 116.

Categorias
Economia


Relacionado com: