Marina de Vilamoura vai ter novo Centro de Congressos

Paul Taylor, CEO de Vilamoura World.

Mais de 160 pessoas, entre investidores, entidades oficiais e representantes da banca estiveram na apresentação da segunda fase do empreendimento L’Orangerie, em Vilamoura, na sexta-feira, 3 de junho.

«Passou um ano desde que adquirimos Vilamoura e tem sido um ano difícil e duro, mais do que previmos. Temos trabalhado muito para tornar este resort, o destino líder na Europa, objetivo que continua no trilho certo», introduziu Paul Taylor, CEO de Vilamoura World. O gestor começou por explicar que Vilamoura «tem uma área total de 1700 hectares (o dobro de Quinta do Lago e quatro vezes maior que Vale do Lobo). Apenas metade da área está urbanizada. Cerca de dez mil pessoas vivem aqui, em quatro mil lares. Temos um Master plan aprovado para 700 mil metros quadrados. Vamos construir mais cinco mil casas e aumentar a população para 20 mil pessoas», revelou.

Taylor insistiu na ideia de «criar vida» para tornar este produto atrativo, numa perspetiva «multigeracional». «Precisamos de trazer marcas internacionais à marina, que é a segunda maior da Europa. Estamos a construir um novo clube noturno (V Lounge) e vamos renovar todos os restaurantes de praia segundo os standards internacionais. Será algo que possivelmente nunca se viu no Algarve. Temos um grupo que está disposto a investir fortemente na marina. Um dos projetos em cima da mesa é a criação de um centro de congressos com capacidade para 2500 pessoas. Será o maior do Algarve», adiantou.

Em breve, também o Tivoli Victoria vai passar um processo de rebranding para a insígnia «Anantara». No campo de golfe Vitoria, ainda este ano, está prevista a abertura de um novo restaurante, o «Parilla». Taylor falou ainda num novo centro comercial, «algo que Vilamoura precisa desesperadamente». Para já, o projeto tem confirmado o interesse da cadeia lisboeta de restaurantes «by Olivier». Este verão, avança um novo modelo de gestão do trânsito para evitar os constrangimentos, definido em conjunto com a Câmara Municipal de Loulé. «É uma solução temporária, que queremos tornar permanente para o ano. E ainda não desisti da ideia de tornar todo o resort pedonável», disse.

Na calha está também o novo «V-Club», que vai trazer «benefícios exclusivos» para proprietários de iates ancorados na marina, investidores imobiliários, hospedes e residentes. No final, Taylor apresentou um vídeo sobre o projeto L’Orangerie, condomínio residencial de luxo, que representa um investimento total de dez milhões de euros. Ocupará uma área de sete hectares, composto por 93 unidades, entre villae, moradias e apartamentos.

Categorias
Economia


Relacionado com: