Comissão Europeia dá novo apoio ao Algarve por trabalhar em conjunto em projetos de alta tecnologia

O Algarve é uma das regiões apoiadas pela Comissão Europeia por participar na parceira sobre edifícios sustentáveis e, por isso, vai receber apoio personalizado ao abrigo de uma nova ação-piloto para projetos inovadores subvencionada pela União Europeia (UE).

Esta ação-piloto visa ajudar as parcerias expandir os seus projetos em setores prioritários, como os megadados, a bioeconomia, a eficiência dos recursos, as técnicas de fabrico avançadas ou a cibersegurança.
O apoios irão também para o norte de Portugal, que co-lidera uma parceria de oito regiões para desenvolver projetos conjuntos no domínio da impressão 3D e participa em outras duas parceiras, uma sobre energia renovável marítima e outra sobre economia circular, também e para a região centro, âmbito da agricultura de alta tecnologia

O financiamento surge na sequência de um convite à manifestação de interesse lançado em setembro último, foram selecionadas oito parcerias inter-regionais, lideradas por uma ou várias regiões coordenadoras.
Assim, uma parceria de oito regiões lideradas pelo Noord-Brabant (Holanda), a Flandres (Bélgica) e a região norte de Portugal irá desenvolver projetos conjuntos no domínio da impressão 3D.

Um grupo de nove regiões liderado pela Flandres trabalhará em conjunto no setor da bioeconomia; a Bretanha (França), juntamente com três regiões e a Estónia irão trabalhar na cibersegurança; a Lombardia (Itália) e sete outras regiões escolheram como área de especialização a economia circular e, mais especificamente, a desfabricação e a refabricação; s Toscânia (Itália), 21 outras regiões e a Estónia irão empreender esforços comuns para desenvolver novas soluções para a agricultura de precisão.

A Escócia (Reino Unido) e o País Basco (Espanha) estão a coordenar um grupo de 16 regiões para desenvolver projetos conjuntos no domínio das energias renováveis marinhas. A região norueguesa de Sogn og Fjordane está igualmente associada.

A Andaluzia (Espanha) e cinco outras regiões escolheram os edifícios sustentáveis como prioridade temática. A Andaluzia (ES) e a Emilia-Romagna (Itália) lideram um grupo de nove regiões que vão apresentar projetos inovadores nos domínios da rastreabilidade e dos megadados.

Estas parcerias irão beneficiar do apoio de equipas especialmente criadas para o efeito na Comissão, com peritos de vários departamento temáticos. Os peritos prestarão aconselhamento sobre a melhor forma de articular os fundos da UE para o financiamento de projetos.

Além deste apoio prático da Comissão, cada parceria poderá beneficiar de consultoria externa até 200 mil euros para atividades de divulgação e comercialização. As verbas provêm do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Corina Crețu, Comissária responsável pela Política Regional, considera que «as regiões com vantagens competitivas equivalentes poderão apresentar os seus projetos num grande espaço comum. O apoio da UE ajudará a transformar boas ideias em produtos inovadores, entre os quais encontraremos os campeões europeus da inovação do futuro.»

Próximas etapas
O trabalho com as parcerias terá início em janeiro de 2018 e decorrerá até 2019.
Esta fase piloto permitirá testar novas estratégias de cooperação inter-regional, ao mesmo tempo que facultará à Comissão Europeia elementos de reflexão sobre a especialização inteligente após 2020.

Contexto
As regiões da Europa devem tornar-se mais competitivas e resilientes no contexto das grandes mudanças resultantes da globalização. O trabalho em conjunto permitir-lhes-á avançar na cadeia de valor. A UE tem desempenhado um papel essencial para dar expressão às potencialidades de crescimento das suas regiões e ajudá-las a investir nos seus nichos de excelência competitiva (o chamado processo de especialização inteligente). Até à data, foram adotadas 120 estratégias regionais de especialização inteligente. A sua execução é apoiada por 40 mil milhões de euros de fundos da política de coesão. Estas parcerias inter-regionais integram um novo conjunto de ações que a Comissão apresentou em julho de 2017 com o objetivo de fazer avançar a especialização inteligente e promover a inovação nas regiões da UE, para que estas possam ter o seu lugar numa economia globalizada.

Categorias
Economia


Relacionado com: