A Mercearia do Algarve fica em Portimão

Excetuando o café, que o Algarve não produz, tudo o que encontramos neste estabelecimento é algarvio.
Até o sorriso e a boa disposição da sua proprietária. Elisa Malheiro, 39 anos, licenciou-se em gestão hoteleira. Durante anos trabalhou em prestigiados hotéis, tanto em Portugal, como em Itália e Sardenha, em lugares de chefia. No ano passado, ficou desempregada. Um dia, passou pela rua Direita, em Portimão, olhou para aquela pequena loja vazia, no número 25, e pensou que era ali que iria começar o seu negócio: comercialização de produtos algarvios, muitos deles desconhecidos do grande público, ou de difícil acesso.

Correu a região de uma ponta à outra, na descoberta do mais genuíno, e encontrou alcagoitas e a manteiga feita à base das mesmas em Aljezur. Azeite algarvio premiado internacionalmente, o Monterosa, na zona de Moncarapacho. Depois, foi até ao Azinhal, em plena serra do Caldeirão, concelho de Castro Marim, descobrir o queijo fresco e os iogurtes feitos de leite de cabra algarvia. E a flor de sal, o sal marinho natural, com ou sem especiarias, o sal líquido para temperar no prato. De Vila Real de Santo António, chegam a estopeta de atum, a muxama, os biqueirões estibados e os alimados. De Tavira, as azeitonas. Depois, encontramos mel, fumados, doces, feijão, grão, milhos, pão, bolos e biscoitos caseiros. E há muito mais, até sabonetes de fabrico artesanal. Mas o melhor mesmo é visitar e escolher.

Categorias
Economia


Relacionado com: