Segunda fase da requalificação da praia de Monte Gordo arranca a 15 de novembro

A autarquia de Vila Real de Santo António (VRSA) inicia, no próximo dia 15 de novembro, a segunda fase da obra de requalificação da Praia de Monte Gordo.

Com esta medida, o município prossegue a renovação de uma das suas principais zonas balneares, cuja primeira fase, concluída em julho, dotou a praia com o maior passadiço do sotavento algarvio, avaliado em milhão de euros e com uma extensão de três quilómetros.

A segunda fase da obra prevê a demolição dos antigos apoios de praia e a construção de novas estruturas em materiais uniformizados, que ficarão ao mesmo nível do passadiço.

O plano, já aprovado pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), contempla a construção de 18 novos concessionários – que irão substituir os atuais – sendo futuramente acessíveis quer através do corredor central, quer da Avenida Marginal.

«Recorde-se que o Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC), aprovado pelo anterior executivo socialista da autarquia, apenas previa a construção de oito apoios de praia mas, através da sua revisão e do conjunto de reuniões desenvolvidas entre a Câmara Municipal e a APA, foi possível a instalação de 18 unidades», nota Conceição Cabrita, presidente da Câmara Municipal de VRSA.

«Desta forma, todos os empresários que detinham atividade na praia e possuíam a sua situação regularizada não necessitaram de submeter-se a concurso, pondo-se fim ao sistema de licenças precárias que vigorava até ao momento», prossegue a autarca.

De acordo com o estipulado pelos proprietários e pela APA, os atuais restaurantes poderão funcionar até ao dia 1 de novembro, data após a qual deverão libertar as estruturas.

O processo de demolição será conduzido pela Câmara Municipal de VRSA, enquanto a construção dos novos apoios de praia será suportada pelos proprietários.

«Significa isto que, no próximo Verão, teremos já uma praia com mais qualidade, novos acessos e novos apoios, finalizando-se assim uma das maiores operações de requalificação urbanística e ambiental levada a cabo no nosso concelho», prossegue Conceição Cabrita, em nota enviada à imprensa pela autarquia de VRSA.

A requalificação da praia de Monte Gordo é uma imposição do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura – VRSA, que prevê a criação de acessos e estruturas de apoio que não colidam com o cordão dunar. Em todo o Algarve têm existido operações semelhantes em várias praias, quase todas elas assentes na construção de passadiços sobrelevados.

A intervenção é da responsabilidade da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), embora coordenada pelo município de VRSA, que assume também a candidatura ao fundo comunitário disponível.

O passadiço não manterá a atual altura porque tal como sucedeu na obra de requalificação da praia da Manta Rota, a reconstrução da duna irá cobrir praticamente toda a estrutura de suporte do passadiço, vencendo a altura/cota atualmente existente. A tendência é que o passadiço fique ao mesmo nível do areal.

Categorias
Destaque


Relacionado com: