Secundárias algarvias aderiram ao desafio da Fundação Sovereign Art

A Fundação Sovereign Art (SAF) inaugurou, na sexta-feira, 2 de fevereiro, em Faro, a exposição de obras da segunda edição do Concurso de Artes Visuais dirigido às Escolas Secundárias do Algarve.
Laura Conceição Aires, Maria Clara Encarnação e Lucas Angelo Thinon Pereira.

Laura Conceição Aires, de 16 anos, aluna do Agrupamento de Escolas Gil Eanes, de Lagos, desenhou e colou uma série de faces humanas, abstratas e expressivas, numa tela colorida a pastel de óleo e acrílico. Chamou-lhe «Desenterro do Subconsciente». É a segunda vez que participa no Concurso de Arte da Fundação Sovereign Art (SAF).

Já o colega Lucas Angelo Thinon Pereira, de 18 anos, arriscou um subtil nu feminino, com o título «Mãe». Ambos os jovens vieram com a professora Maria Clara Encarnação, que fez questão de os levar ao Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) de Faro, de modo a apreciarem o que os outros estudantes da região criaram.

Esta é uma iniciativa organizada pela Sovereign – Consultoria Lda, uma empresa de consultadoria com sede em Lagoa, que segue o formato das competições realizadas pela casa-mãe (SAF) na Ásia, África, Médio Oriente e outros países da Europa.

Tal como em 2017, todas as Escolas Secundárias da região, todos os cursos de 10º ao 12º foram desafiados a apresentar trabalhos de cinco alunos. Destes, foram selecionados 20 finalistas (entre 40 recebidos). A sala de exposições do IPDJ de Faro é o primeiro local a acolher esta mostra, onde ficará patente até 21 de fevereiro. Depois, fará uma tournée pelo Algarve.

Isobel Costa, Custódio Moreno, Nigel Anteney-Hoare e Francisco Manuel Marques.

No evento final, a 28 de abril, na Galeria de «Arte Lady in Red» em Lagoa, os trabalhos dos estudantes serão postos a leilão. As receitas angariadas revertem, de novo, para uma causa social. Este ano, destinam-se a financiar os workshops de arte e poesia para jovens, dinamizados por David Trubshaw e Gudrun Bartels, com o apoio do Silves Rotary Club.

O primeiro e segundo vencedores do concurso serão escolhidos pelo júri, e terceiro será eleito pelo público (que poderá votar nas exposições e no website do evento). Haverá prémios para os alunos e as suas escolas no valor de 4550 euros.

Segundo Isobel Costa, responsável pela publicidade e marketing da Sovereign, a segunda edição do concurso «Arte Algarve 2018» contou com o interesse e empenho de professores e alunos. «Houve uma evolução, penso que tivemos um amadurecimento ao nível das propostas apresentadas, e também, uma variedade de estilos e técnicas. Não foi fácil para o júri selecionar os finalistas», disse ao «barlavento».

Francisco Manuel Marques, delegado regional de Educação do Algarve, enalteceu a iniciativa. «É importantíssimo apostar neste tipo de eventos, até porque a escola tem que trabalhar mais estas áreas artísticas, culturais e desportivas. São estas disciplinas que nos ajudam a ter um pensamento crítico e estético, para que possamos ter cidadãos mais emocionais e com valores. Estes eventos ajudam-nos a contribuir para uma sociedade melhor».

Francisco Manuel Marques, delegado regional de Educação do Algarve.

No dia em que 2480 alunos participaram no Campeonato Regional de Corta-mato, Custódio Moreno, diretor regional do Algarve do IPDJ, considerou que esta iniciativa é uma «combinação quase perfeita, ao aliar juventude, criatividade, irreverência e uma causa social».

«Temos de dar palco aos jovens, dar-lhes oportunidade de mostrarem à sociedade o que têm de melhor», disse.

A exposição vai passar pela Marina de Lagos (23 de fevereiro a 8 de março), Biblioteca Municipal de Albufeira (12 a 29 de março) e Galeria de Arte «Lady in Red» na Adega de Lagoa (5 a 28 de abril). Os trabalhos podem ser vistos aqui.

Categorias
Destaque


Relacionado com: