Praia de Faro ganha caranguejo boca gigante

Obra em metal foi feita de raiz, peça à peça, pelo mestre Tó Quintas. É grande o suficiente para atrair a atenção dos passageiros a bordo dos aviões que aterram e descolam ali ao lado.

É um caranguejo violinista (Uca tangeri), também conhecido por bocas, com 1,60 de altura e sete metros de largura, considerando a distância entre a pontas das patas mais afastadas. Tem oito patas, duas pinças diferenciadas, carcaça e até olhos. Foi colocado na rotunda junto ao passadiço de madeira da sociedade Polis que dá acesso à Praia de Faro, na madrugada de segunda-feira, 16 de junho. No total, foram 250 horas de trabalho, 360 metros de talha de ferro, mais três chapas de 2 metros quadrados cada.

«Comecei em maio. Foi muito rápido, trabalhei 10 a 12 horas por dia para ter tudo pronto até meados de agosto», contabiliza Tó Quintas, cenógrafo, maquetista, construtor de aviões, inventor, ator e autor da nova escultura. Devido às pinças serem apreciadas como petisco, as bocas, como vulgarmente são chamados, chegaram a estar em risco. Nos últimos anos, contudo, as populações têm vindo a recuperar. «São tímidos e difíceis de apanhar. Observei-os ao detalhe, fiz alguns desenhos da estética da obra, e contas ao material que seria necessário antes de começar», diz Tó Quintas.

Mas como este fim de semana acontece a concentração internacional do Motoclube de Faro, tentou-se que a coisa andasse mais depressa e conseguiu-se», de forma a surpreender os milhares de motards que por ali vão passar. E mesmo depois do evento, a oportunidade de tirar uma selfie com o imponente crustáceo não será, certamente desperdiçada pelos veraneantes. A ideia surge pela Associação Desenvolvimento Comercial da Zona Histórica de Faro (Baixa de Faro), «em sintonia com a Câmara Municipal de Faro», segundo explica o presidente José Carlos Riviera.

«Há um hábito em Faro de colocar no jardim, ou ao pé da doca tudo o que se faz. Eu acho que temos de valorizar o resto da cidade. O sítio mais propício para colocar o caranguejo é onde ele está», refere. Até porque «a rotunda estava ali um pouco abandonada, e agora ganha uma alma». O projeto ainda não está concluído porque, «em princípio, vamos colocar rochas por baixo das patas, de forma a dar um pouco mais de altura à peça. Vai também ter iluminação noturna», revela. «Está muito bem conseguido e penso que dá uma certa dignidade aquela zona. Quando os aviões levantam ali, as pessoas veem o caranguejo», garante José Carlos Riviera. Falta também colocar uma placa explicativa, com os nomes das entidades intervenientes.

Rogério Bacalhau, presidente da Câmara Municipal de Faro, ouvido pelo «barlavento» explica que «no âmbito do protocolo que temos com a Baixa de Faro, AIHSA e ACRAL, decidiu-se que todos os anos se faria qualquer coisa que deixasse uma nova marca na cidade. E nesse sentido, decidiu-se recuperar essa ideia. Ficou muito bem porque a escultura tem um enquadramento excelente em termos do objeto em si com a Ria Formosa». Este fim de semana, «os visitantes podem aproveitar e levar logo um postal novo da cidade», concluiu o autarca.

Categorias
Destaque


Relacionado com: