Polis avança com um novo passadiço no lado poente da Praia de Faro

A Sociedade Polis Litoral Ria Formosa, consignou a empreitada de renaturalização e recuperação do cordão dunar da Península do Ancão (Núcleo Poente) à empresa Toscca – Equipamentos em Madeira, Lda.

Esta empreitada decorrerá durante um período de 60 dias e pretende facilitar e regular o acesso pedonal, garantindo a proteção do cordão dunar e possibilitando assim a regeneração da vegetação dunar, desempenhando com eficiência um papel importante na reconstrução dunar contribuindo para a proteção e recuperação do património natural e cultural na zona costeira, e ainda a prevenção de diversos riscos associados às zonas costeiras, na perspetiva de garantir a sua sustentabilidade ecológica, ambiental e social.

Prevê ainda, segundo informação prestada pela Sociedade Polis, «a manutenção e reposição das condições naturais do ecossistema e minimização das situações de risco para pessoas e bens por via das medidas corretivas de erosão e defesa costeira. A intervenção tem como principais objetivos atenuar a degradação do Cordão Dunar no Núcleo Poente da Península do Ancão, pelo que, prevê a descompactação de solo, remoção de lajes de betão – que definem atualmente os caminhos e via de passagem – e construção de um passadiço ligeiramente sobrelevado com cerca de 800 metros de comprimento, por forma a permitir o acesso às habitações e à praia, minimizando deste modo a destruição da vegetação e cordão dunares».

Esta obra é resultado do projeto da renaturalização e recuperação do cordão dunar da Península do Ancão – Núcleo Poente e tem um custo total de 160 mil euros, que incluiu a execução do projeto, da empreitada e fiscalização e foi financiada com recurso a capital social da Sociedade Polis Litoral Ria Formosa, S.A., através das componentes Estado e financiamento comunitário por meio do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

Em 2015 foi realizada uma intervenção, no âmbito da «Empreitada de Intervenção de Requalificação da Península do Ancão (nascente e poente) no Âmbito da Intervenção Polis Litoral Ria Formosa – 1ª Fase», que permitiu a renaturalização e a reposição das condições naturais das áreas do Domínio Publico Marítimo dos núcleos Nascente e Poente da península do Ancão com a remoção das edificações não identificadas como de primeira habitação.

Restando ainda, no conjunto destes dois núcleos, 102 edificações, consideradas de primeira habitação que aguardam soluções de realojamento, sendo a maioria delas no núcleo Poente.

Atualmente o cordão dunar do Núcleo Poente é estreito e encontra-se muito degradado e fragilizado, em parte, devido ao pisoteio constante da população que que ainda habita nas edificações distribuídas ao longo da duna, pelo que a implementação desta ação visa minimizar a sua degradação tendo em conta que se prevê o futuro o realojamento destes agregados, no âmbito de ações a promover pela Câmara Municipal de Faro e o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P. (IHRU).

Categorias
Destaque


Relacionado com: