Matias Damásio abre cartaz do Festival da Sardinha 2018

Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão.

A Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), na Feira Internacional de Lisboa (FIL), que inaugurou ontem, 28 de fevereiro, foi o palco escolhido pela Câmara Municipal de Portimão para divulgar os nomes que compõem o cartaz musical da edição deste ano do Festival da Sardinha.

Matias Damásio, Raquel Tavares, Black Mamba e Ana Bacalhau são os nomes já confirmados para aquele que é o festival ex-libris da autarquia portimonense.

Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão, anunciou que a abertura do Festival estará a cargo de Matias Damásio, no dia 1 de agosto. Nascido em Benguela em 1982, chegou a Luanda e venceu o Festival da Canção de Luanda e o Concurso Variante. Aprendeu a tocar guitarra nas ruas e participou em vários outros concursos antes.

Em 2005, gravou o seu primeiro álbum «Vitórias» e, em 2010, é convidado para participar no Carnaval da Baía no Brasil,onde recebe o troféu Castro Alves e um diploma de mérito. Depois de alguns êxitos, em 2015 lançou o seu quarto álbum de originais alusivo aos 10 anos de carreira, intitulado «Por Amor». É com este disco que ganha notoriedade em Portugal no ano seguinte. O tema «Loucos» torna-se o maior sucesso de 2017, mantendo-se nos primeiros lugares dos principais tops, alcançando o disco de ouro e single de dupla platina, batendo todos os recordes de vendas em Portugal.

No segundo dia, 2 de agosto, o palco do Festival da Sardinha ficará reservado a uma banda local, que será revelada mais tarde, enquanto no dia 3 será Raquel Tavares a animar a noite portimonense.

Uma das mais importantes vozes do fado contemporâneo, Raquel Tavares tem um dom inato. Cantou pela primeira vez com cinco anos e aos 12 anos já participava em concursos de fado, conquistando 14 primeiros lugares, entre eles o da mítica Grande Noite do Fado, no Coliseu de Lisboa, em 1997.

Aos 17 anos a convite de Fernando Maurício, começa a cantar profissionalmente em casas de fado um pouco por toda a Lisboa, convivendo de perto com históricos interpretes da canção nacional. Em 2006, edita o disco de estreia «Raquel Tavares», que lhe vale os prémios Amália Rodrigues e Casa da Imprensa na categoria revelação.

Desde então Raquel tem desenvolvido um percurso que já a levou a alguns dos palcos mais importantes de países como Espanha, França, Itália, Grécia, Marrocos, Alemanha, Bélgica, Holanda, Escócia, Inglaterra, Irlanda, Uruguai, Argentina, Brasil, Canadá, China e Austrália.

Ainda no alinhamento, de acordo com Isilda Gomes, o dia 4 de agosto, penúltimo dia do Festival da Sardinha será reservado a Ana Bacalhau. A cantora lançou-se a solo em dezembro de 2013, com o projeto «15», cantando algumas das canções que mais a marcaram desde os 15 anos.

O stand do Algarve na BTL 2018 que inaugurou ontem 28 de fevereiro.

Além do seu trabalho em Deolinda, partilhou a voz e o palco com outros músicos, como Gaiteiros de Lisboa, Sérgio Godinho, Xutos & Pontapés, António Chainho, Pedro Abrunhosa, Ana Moura. Em outubro lançou o primeiro álbum a solo, que se chama «Nome Próprio».

O Festival encerra a 5 de agosto com Black Mamba, grupo composto por Pedro Tatanka e Miguel Casais em maio de 2010. A experiência de ambos os músicos, embaixadores de reconhecidos projectos nos países de origem, Portugal (Aurea, Richie Campbell) e Brasil (Ed Motta, Gabriel o Pensador, Banda Black Rio), permitiu-lhes percorrer o universo do blues, soul e funk, numa adaptação ao habitat natural dos artistos.
Maio de 2012 assinala a apresentação oficial dos «The Black Mamba» com o single «It Ain´t You». «Dirty Little Brother», produzido entre Lisboa e Nova Iorque, é o segundo álbum de sucesso que conta com 11 temas e ainda com participações especiais de Aurea , António Zambujo, Silk (Cais Sodré Funk Connection) e Orlanda Guilande.

Este foi apenas um dos 50 eventos que a autarquia destacou na BTL, como experiências a não perder, para aqueles que visitarem Portimão nos próximos meses. Destacam-se ainda a peça de teatro «Insónia», que voltará a levar Fernando Mendes ao Teatro Municipal de Portimão, em agosto, a realização, pela primeira vez dos Campeonatos do Mundo de Windsurf Portimão 2018, em setembro, o Pirate Week – Assalto a Alvor, também em agosto, assim como o MasterCup em Futsal, que contará com as duas equipas portuguesas Sport Lisboa e Benfica e Sporting Clube de Portugal, ou o BPM Festival que retorna à cidade em 2018.

E todos os eventos estão reunidos numa pequena caixinha de memórias futuras, com polaroids, onde através de um QR Code, que pode ser lido com uma aplicação, o visitante pode obter mais informações sobre a iniciativa. Durante a apresentação portimonense, com casa cheia, foram distribuídas essas pequenas caixas, para abrir o apetite à programação cultural e desportiva do concelho para este ano.

Categorias
Destaque


Relacionado com: