Incêndio de Messines obrigou a evacuar residentes

O incêndio que deflagrou no dia 8, na localidade da Perna Seca, a norte de São Bartolomeu de Messines, acabou por ser extinto às 9h15 de terça-feira, sem que houvesse registo de feridos.

No entanto, foi necessária a evacuação de 50 pessoas. «Fomos proativos na avaliação precoce. As nossas equipas de reconhecimento e avaliação, com o apoio da Guarda Nacional Republicana, tornaram possível retirar as pessoas com mobilidade reduzida ou outras dificuldades, para zonas seguras, em antecipação», disse ao «barlavento» Richard Marques, comandante das operações de socorro. Uma das dificuldades foi a dispersão do edificado, que levou à «priorização das ações de resposta», sendo a salvaguarda de pessoas a principal.

Na terça-feira, no fecho desta edição, a serra estava em vigilância, depois do incêndio ter sido dominado às 7h30, avançou o comandante. À tarde, os «dispositivos continuaram no terreno, para manter a capacidade de resposta, no imediato, a qualquer situação», acrescentou.

Estiveram 223 bombeiros a combater o incêndio que chegou a ter duas frentes ativas. Foram afetos 50 veículos, quatro meios aéreos e três máquinas de rasto, segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Faro.
A coluna de fumo, visível nos concelhos de Lagoa, Portimão e até Lagos, tornou o ar irrespirável em Messines, segundo relato de uma residente ao «barlavento».

O «barlavento» agradece ao fotógrafo Vitor Pina pela colaboração na cedência da fotorreportagem.

Categorias
Destaque


Relacionado com: